segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

SOL DE MAIO

gosto das minhas cicatrizes
de quem não me entende
de quem acha que me entende

gosto do meu passado
até quando ele me condena

gosto de quem me intimida
de descer do salto
de andar descalço
de saudar o inverno

gosto dos mitos
dos boatos
dos rumores

gosto da dúvida
da contradição
gosto de versos que começam com “sou”
mas que pouco explicam

gosto do silêncio das capitais
de ser mais um na multidão
mais um retalho na colcha

gosto da fumaça do narguilé
dos florais de bach
dos realejos e teremins

gosto do cinema argentino
do futebol argentino
fito paez
borges

gosto do café dos maestros
e da face serena do sol de maio
(Herculano Neto)

14 comentários:

  1. [gosto de recontar a historia aproveitando cada instante]


    ab¢

    ResponderExcluir
  2. E eu gosto demais deste poema...
    "gosto de quem me intimida
    de descer do salto
    de andar descalço
    de saudar o inverno"
    Tem tanta verdade e ao mesmo tempo um gosto do gostar, gosto de Borges, gosto de citações, gosto de andar pelo peoma e me sentir em casa, mesmo não sendo a minha, acho que deve ser a tal sensação de unversalidade rs...deveria ter aprendido a gostar quando era um retalho na concha, mas gosto agora deste ar bucolico que respiro cada vez qua abro a porta de minha casa para sair para a rua. Definitivamente gosto deste poema...é bom gostar...
    ps.Carinho respeito e abraço.

    ResponderExcluir
  3. Gostei demais.
    Do texto, do ritmo, de descobrir que Herculano também gosta do Fito Paez.

    ResponderExcluir
  4. Sabe do que gosto?
    De me encontrar em cada pedacinho dos teus poemas.

    ResponderExcluir

Comente apenas se leu a postagem.
Comentários anônimos serão recusados.

Related Posts with Thumbnails