quarta-feira, 6 de novembro de 2013

(NÃO) AMAR É...

Uma amiga, dona de casa e mãe de três filhos adultos, conseguiu realizar um sonho adiado mas nunca esquecido: se formou em direito. Ôquei, isso não é nada incomum, provavelmente todo mundo conhece uma dúzia de histórias de superação muito mais dolorosas, porém o que chamou minha atenção foram os agradecimentos da recém formanda, com um parágrafo inteiro dedicado ao esposo, que ficou propositadamente afastado dos outros agradecidos (gente sem valor, como professores, incentivadores e familiares que se apertaram no mesmo parágrafo). No texto, o marido é tratado como um adversário na jornada, um obstáculo que precisava ser ultrapassado, em tom claramente irônico ela agradece pela “oposição contínua” e pela “permanente hostilidade”.

Após ler os agradecimentos, fiquei tentando descobrir o que leva um casal que se odeia a conviver sob o mesmo teto anos a fio, que mesquinhez, egoísmo ou comodidade aprisiona duas pessoas numa existência. O amor?

Não me atrevo a definir o que é o amar, tal qual uma figurinha dos anos 80 ou os colegas literatos Fabrício Carpinejar e Ediney Santana, não tenho essa coragem, não tenho essa ousadia. Nesse assunto sou um incompetente aprendiz, admito.

Pouco posso saber sobre o amor, mas já vivi suficiente para saber o que não é o amor.

17 comentários:

  1. Eu digo que amor é algo indefinível. Sinceramente, eu não consigo entender...por mais que tente.

    ResponderExcluir
  2. Nao consigo entender tb,
    sem querer definir, amar é deixar ser livre,
    sem amarras,
    sem prisoes.

    ResponderExcluir
  3. Também não entendo casais que não se amam e ficam juntos.
    Tava lembrando de um post seu anterior, sobre os comentários...
    se não fossem os comentários no seu blog, não teria conhecido Ediney.

    ResponderExcluir
  4. Muitos homens não gostam de ver suas mulheres estudando, se formando. Isso se chama egoísmo. Vc está com uma pessoa e não quer que ela cresça, faz de td para atrapalhar.
    Isso gera muralhas no relacionamento vc passa a conviver com o inimigo dentro de casa.
    Deus nós livre disto, pq isso não é amor e nunca será.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  5. q reflexão interessante e forte esta sua: "Pouco posso saber sobre o amor, mas já vivi suficiente para saber o que não é o amor."

    ResponderExcluir
  6. (...)uma bomba faz mais barulho que uma caricia,
    porém, para cada bomba que destrói
    há milhões de carícias que alimentam a vida...

    beij0

    ResponderExcluir
  7. "Pouco posso saber sobre o amor, mas já vivi suficiente para saber o que não é o amor." Belíssima definição, bem vindo ao clube rs

    ResponderExcluir
  8. Sempre soube que a melhor resposta que se pode dar ao inimigo é a vitória, qualquer palavra nessa hora é vã.

    ResponderExcluir
  9. O que não é o amor, bem sei...O que é, estou por saber!

    Beijos, Herculano!

    ResponderExcluir
  10. É verdade... não compreendo relacionamentos baseados em ironia pública ou manipulação de insegurança. Um abraço!

    ResponderExcluir
  11. O melhor do amor é isso..ninguém consegue "traduzi-lo",basta sentir em suas diferentes formas, linhas, conteúdos...bjs!

    ResponderExcluir
  12. Eu sou uma pessoa com nível de romantismo praticamente nulo e, pelo que você disse sobre essa sua amiga, provavelmente o que a prende à relação é a comodidade. Não que seja uma condição cômoda no sentido de agradável, mas a gente se acostuma com as coisas e com as pessoas e vai ficando. Eu entendo. Amor é algo supervalorizado.

    ResponderExcluir
  13. Acho que é o puro comodismo. o medo de mudar...

    ResponderExcluir
  14. Algumas pessoas são movidas por desafios constantes, como raiva,inveja e ódio, fazendo com que reúnam forças dentro de si mesmas até chegar ao seu objetivo final, a fim de mostrar ao outro do que é capaz de concretizar, e geralmente sentem-se aliviadas no final de tudo, é quando esvaziam-se, sendo justamente o caminho inverso é o que a faria mais feliz e em paz, sem alardes.
    Tudo em nome do "Amor"!

    Obs: Muito boa a tua conclusão "Pouco posso saber sobre o amor, mas já vivi suficiente para saber o que não é o amor"

    Forte Abraço,

    Lecy'ns

    ResponderExcluir
  15. Poderá haver nesse relacionamento algo que o justifique, mas essa amiga (possivelmente) só agora soltou o grito de liberdade.
    Sabemos riscar o que não faz parte do amor, é verdade.
    Intrometi-me e gostei de ler.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  16. Boa noite meu amigo.
    É uma honra poder seguir o seu blogue. Tenho uma página de poesias, mas é algo bem humilde perto da suas escritas tão bacanas. De certo estarei aqui mais vezes. Bom, isso não é amor, é comodismo, é uma relação fadada ao fracasso, onde um ficam remoendo o erro do outro constantemente. Já fiz algumas coisas ligadas a esse assunto.

    Enfim, um grande abraço, e fique sempre na paz !

    Dan.
    http://gagopoetico.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Comente apenas se leu a postagem.
Comentários anônimos serão recusados.

Related Posts with Thumbnails