terça-feira, 7 de maio de 2013

OS PIORES VERSOS DE RENATO RUSSO

Renato Russo, líder e principal compositor da cultuada Legião Urbana, tem seu nome comumente associado ao epíteto poeta (rótulo tão banalizado e desgastado que até Chorão, do Charlie Brown Jr., foi agraciado com ele). Letrista, realmente, de qualidade bem acima dos seus pares – inclusive Cazuza, outro equivocado “poeta” -, Renato Russo tem suas letras reproduzidas como hinos por seguidas gerações de jovens, e de não tão jovens assim, angustiados com o mal do século, além de ocupar o espaço destinado a autênticos poetas em exemplos utilizados nos livros didáticos. E como se já não fosse suficiente a literatura, o Trovador Solitário invadiu também os cinemas. Primeiramente com o raso documentário “Rock Brasília”, agora com os rebeldes sem causa da imberbe capital federal em “Somos Tão Jovens”, uma caricatura com algum rock e sem sex and drugs, pra não assustar a família-brasileira-tela-quente. E ainda vem aí “Faroeste Caboclo”. Tenho medo de imaginar qual será o próximo, “Eduardo e Mônica?”, “Dezesseis?”, “Pais e Filhos?”, “Ainda Somos Tão Jovens?”. Enquanto isso, me atrevo a listar seus versos menos interessantes (pra ficar no eufemismo):

BENZINA
Poderia ter poupado Renato Russo desse retrato do artista quando jovem, mas a partir do momento em que os Irmão$ Lemo$ e Dinho (e aí, moçadaaaa) Ouro-Preto chafurdaram o espólio do Aborto Elétrico para um projeto insosso, não tive como deixar essa pérola de fora. O engraçado é que quase trinta anos depois de ter sido escrita, constato que o rock feito no Brasil encaretou, já que no disco do Capital Inicial a música foi gravada sem a letra, com receio de ser considerada apologia às drogas, mas o mundo não perdeu grande coisa:

“Fui até à farmácia
Eu e minha prima
Levei os 20 mangos
Pra comprar benzina”


DEPOIS DO COMEÇO
Dos fóruns online à mesa de bar, “Depois do Começo” é praticamente hors concours quando o assunto é música da Legião Urbana que você não gosta, seja porque ta mais pros Paralamas ou por causa do “Deus, somos todos ateus”. No encarte do disco “Que País é Este”, somos advertidos que a letra contém diversas mensagens codificadas e quem tentar decifrá-la encontrará mais coisas sobre si do que sobre a música. Bobagem. Raramente executada ao vivo, recentemente foi resgatada por Dado Villa-Lobos nos seus shows, numa espécie de lado B da sua antiga banda, como se a Legião Urbana tivesse algum lado B. Os fãs mais ardorosos comparam a letra a uma viagem lisérgica, meio “Lucy in the Sky with Diamonds”, outra bobagem. Na verdade, os versos são de um nonsense constrangedor: “cair como um saxofone na calçada”, “usar um extintor como lençol”, “jogar polo-aquático na cama”, não faltam opções para pior verso, mas me incomoda mesmo é o refrão que diz que depois do começo o que vier vai começar... Sic, sic, sic.

QUÍMICA

Em um cena retratada no filme “Somos Tão Jovens”, o baterista Fê Lemo$ ousa questionar a qualidade do trabalho do até então genial Manfredini Jr., o que bastou para o vocalista rodar a baiana e abandonar o barco de vez. Ironicamente, foi essa canção que levou a Legião Urbana ao Rio de Janeiro, após ter sido gravada no disco de estreia dos Paralamas do Sucesso. Propositadamente pueril, boba até, mas comparar a pressão da sociedade para o jovem se tornar um profissional bem sucedido com um campo de concentração da Alemanha nazista (o “Belsen tropical”) é forçar a barra.

SUBMISSA
O que o dinheiro não faz, “Química” não servia, mas essa “Submissa” serve, e nessa nem da pra reconhecer o cara que escreveu "Ainda é Cedo" no texto. Outra que os Irmão$ Lemo$ foram escarafunchar.

“Conheci uma garota submissa
Tudo o que eu mandava ela fazia
Tudo o que eu queria ela fazia
Tudo o que eu sonhava ela fazia”.


MAIS DO MESMO

Nunca, nunca mesmo, simpatizei com os versos iniciais de “Mais do Mesmo” (“Hey, menino branco/ o que você faz aqui?”), a sonoridade das palavras na canção, a ideia simplista sobre quem vende e quem consome drogas (algo que também me incomodou no primeiro “Tropa de Elite”), nada me agrada. E depois que você descobre que esses versos horríveis foram supostamente chupados de "I'm Waiting for the Man", do Velvet Underground, (“Hey, white boy, what you doin' uptown?”), a coisa piora ainda mais. Há quem diga que os doentes na enfermaria cantando sucessos populares é mais bizarro.

OS ANJOS   
Se a postagem fosse sobre a pior música da Legião Urbana, não pensaria duas vezes, mas a letra também não fica pra trás, a impressão é que Renato pegou as sobras de “Perfeição”, requentou e fez esse prato. “Um tablete e meio de preguiça” ou “duas xícaras de indiferença?”. O gosto é do freguês.

MARCIANOS INVADEM A TERRA
“Cuidado com a coisa coisando por aí/
a coisa coisa sempre e também coisa por aqui”. 
Dispensa maiores comentários.

MAIS UMA VEZ
Tá bom, Renato Russo era fã declarado dos mineiros e pretendia gravar um disco só com canções do Clube da Esquina, certo. Mas isso não faz essa letra ser o que ela não é. Recomendo anotar cada verso em um pedacinho de papel, embrulhar, jogar para cima e sortear o pior verso. Autoajuda em letra de música é dose.

OUTRAS ESTAÇÕES
Ao comentar que eu pretendia realizar uma postagem com os versos pouco inspirados de Mr. Russo, amigos legionários, curiosamente, fizeram várias sugestões, demostrando que são menos radicais do que aparentam, ao contrário dos fãs de Raul Seixas, que ameaçaram minha integridade física. Citaram “PLANTAS EMBAIXO DO AQUÁRIO” (pior música do disco “Dois” para alguns) e prima-irmã de “A Canção do Senhor da Guerra” e “Soldados”; o mertiolate de “METRÓPOLE”; as baratas voadoras de “LEILA”; a feijoada de “O MUNDO ANDA TÃO COMPLICADO”; a tríade “A DANÇA”, “PETRÓLEO DO FUTURO” e “PERDIDOS NO ESPAÇO” do primeiro disco; O tê enorme de “TÉDIO”; o quem inventou o amor de “ANTES DAS SEIS”, entre outras.

49 comentários:

  1. Momento "eu confesso": Eu sei que é tosco, tenho perfeita noção, mas eu gosto da "coisa coisando por aí..." hahahaha!

    #prontofalei (pra combinar com a tosquice...)

    Mais um post muito bom. Nada a apontar.

    Aquele abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem quem diga que a " coisa " é a aids , ele quis mostrar o preconceito que acontecia na epoca ( e ate hj , ne ? )e as pessoas evitavam ate falar o nome da doença

      Excluir
  2. Engraçado, eu nunca havia pensado nisso, embora saiba que ninguém é perfeito.
    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Nossa, ate que enfim alguem se posicionou.
    Letrista de musica nao é poeta.
    Se eu abro um livro de literatura quero encontrar Alvares de Azevedo e Manuel Bandeira e nao Cazuza ou Renato Russo.
    Adorei os exemplos, rindo muito.
    Mais do Mesmo é plágio?

    ResponderExcluir
  4. Primeiramente, adoro I"m waiting for the man... mas não tanto com Velvet, e sim com cover em voz feminina... costumam ser bárbaros e tocante.

    Quanto a Renato Russo ser considerado poeta... nada a declarar.
    Estava na cara ser ele alguém extremamente sensível, de temperamento melancólico violento, a arrastar uma maldita solidão de quem sente-se peixe fora d'água nesse mundo o tempo todo.
    Todos acham genial escrever, pintar, esculpir, compor, viver não do suor do próprio rosto, mas do próprio sangue que corre para além das veias... mas o que ninguém sabe, é o quanto isso é morte lenta no processo criativo.
    Suicídio.

    Basta ver a lista do fim de quase todos os artistas geniais que criaram com matéria da própria entranha... fim triste.

    Bem, Renato fazia uso de drogas...
    Devia ter verdadeiro desdobrar de consciência em níveis incompreensíveis para nós... por isso via essa tal de "coisa coisando por aí/ a coisa sempre coisando por ali". Devia era estar drogadão mesmo.

    Enfim...
    Ler que Sir Russo tinha dos seus altos e baixos criativo, faz-me apenas sentir fervorosamente o meu lado cristão: não praticar a idolatria.
    Sim, porque são apenas humanos, tão falhos e necessitados de uma ajuda externa, um livro, uma inspiração, uma música, quanto eu mesma..

    Ele tem verdadeiras obras-primas musicais.
    E a maioria o endeusa por essas.
    Justo.

    Até Fernando Pessoa, meu queridinho da literatura, teve uma fase de poesias tremendamente ridículas na sua juventude. Que faz-me questionar a genialidade do homem incontestável na sua maturidade em amargura...

    À minha querida mamã
    Ó terras de Portugal
    Ó terras onde eu nasci
    Por muito que goste delas
    Inda gosto mais de ti.
    26/07/1895

    Creia, é do Fernando Pessoa esse "mamã" ridículo dos infernos.
    Mas ele é quem também genialmente escreveu:"A arte é um esquivar-se a agir, ou a viver. A arte é a expressão intelectual da emoção, distinta da vida, que é a expressão volitiva da emoção. O que não temos, ou não ousamos, ou não conseguimos, podemos possuí-lo em sonho, e é com esse sonho que fazemos arte. Outras vezes a emoção é a tal ponto forte que, embora reduzida a acção, a acção, a que se reduziu, não a satisfaz; com a emoção que sobra, que ficou inexpressa na vida, se forma a obra de arte. Assim, há dois tipos de artista: o que exprime o que não tem e o que exprime o que sobrou do que teve."
    Livro do Desassossego - Bernardo Soares (Pessoa, o Fernando)


    Ta aí, Renato Russo teve épocas de exprimir o que não tinha, e também as sobras do que tivesse.

    Meu Olá
    =)

    ResponderExcluir
  5. Um dia eu aprendo...


    A proposito gosto de algumas musicas do Renato, e nao via essa diferença entre compor uma musica que as vezes parece um poema e ser realmente um poeta... como a poesia de Cecilia Meireles (Canteiros) que virou cançao na voz de Fagner... bom... nao sabia que quem compoe musicas nao pode ser considerado poeta...

    ResponderExcluir
  6. Olá!

    O que eu sei é que gostava muito do Raul Seixas pelas suas loucuras. Eu digo-lhe se você escreve coisa séria num blog: puf! Ela some! Só não some pornografia. Você sabe me dizer o por quê?
    Eu mesma, tenho várias postagens que sumiram...Por quê? Quando se fala a verdade da História do Brasil. Puf. Voa...
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  7. Seu texto encaixa perfeitamente no livro que actualmente tenho em leitura: "A Civilização Espectáculo", de Mário Vargas Llosa, e que estou adorando.

    Bom resto de dia.

    ResponderExcluir
  8. Precisamos de mais Renatos.. rs'

    Bruno Vang

    ResponderExcluir
  9. Sim, Renato Russo criou algumas letras lindas e algumas bizarrices. Mesmo assim, ainda está muito acima média.
    Ainda não vi o filme, mas vou tentar assistir.
    Bjo!

    ResponderExcluir
  10. Realmente, "Depois do Começo" e "os Anjos" estão no topo da lista das que "menos gosto", "Antes das Seis" também, mas sobre essa tenho uma experiência curiosa, quando vim morar em Salvador dividi um ap com um amigo de Santo Amaro e o cara adoraaaava essa música, o repeat "comia no centro", sei que tinha a ver com um namoro problema dele lá, pois, com o tempo, já morando só, passei a gostar e também a repetir a música, e advinhe, graças a um namoro problemático. Pois é, a coisa é sintomática...

    ResponderExcluir
  11. Eu ouvia muito Renato e gostava de muita coisa. Outras não. Como o Caetano Veloso: há o que eu ame e o que deteste. Do Renato, do Raul e de todos que têm o seu melhor e o seu pior, escolho o melhor. Se era poeta? O que é ser poeta? Eu não sei.

    Beijos,

    ResponderExcluir
  12. Vejo a música, poesia, a arte no geral como uma porta aberta.Não saberia reconhecer o bom o ruim em poesia, se bom ou ruim, aquilo que leio acessa partes desconhecidas em mim, trazem luz a escuridão... Talvez seja pouco, e é, mas pode ser um começo para muitas outras descobertas.

    Gostei muito do que li. Vc tem bons argumentos.

    Bjs

    ResponderExcluir
  13. dos posts que a gente só pode encontrar aqui, no teu maravilhoso blog.

    ResponderExcluir
  14. Há...nem o Renato escapou? rs...
    Se eu fosse você, parava de falar mal de gente morta...não quero nem ver, quando eles começarem a revidar!kkk

    Beijo Herculano!

    ResponderExcluir
  15. Muito bom...e como nada é perfeito...EU AMO LEGIÃO(risos)!!

    ResponderExcluir
  16. Nem terminei de ler o post! Amo as músicas do Renato e Mais do Mesmo é minha preferida!rsrsrs...deixa pra lá, né!rsrsrsrs

    Bjos
    Ju
    asbesteirasquemecontam.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Gosto bastante de Legião (mas não sou suuuper fã) e achei interessante você expor todos seus comentários.
    Concordei com alguns pontos de vista, e reneguei outros.

    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Não posso nem falar muito porque ignoro as músicas de Legião.. Conheço alguns trechos, poucos, e esses conheço por repetição, por escutar por ai. Mas nunca parei pra escutar mesmo, não faz meu estilo. Mas, interessante apontar os defeitos e tudo mais. É bom criticar um pouco, sair do senso comum e observar realmente os versos. =)

    ResponderExcluir
  19. Bem,

    Adoro Legião .....é uma pena nao termos mais "Renatos"...

    Abçs

    ResponderExcluir
  20. Sou muito fã do Renato e do Legião, queria ter ido na estréia do filme (na sexta passada) mas fiquei com dengue.
    Não concordo que o Cazuza seja um "falso poeta" o Chorão sim, ainda mais depois que ele morreu... Tinha muita preguiça das letras dele pra ser sincera.
    Acredito que muitas músicas tem rimas forçadas e a gente nem percebe que as vezes está cantando algo quase sem sentido, muito legal a iniciativa de apresentar isso.

    thevitro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  21. Adorei a crítica. Todo mundo acha que qualquer escrito é poesia e que qualquer compositor, poeta, principalmente se este se consagrou como os citados por você. Essa citação do livro didático torna isso bem claro e me chateia bastante, porque cadê nossos poetas? Muitos deles tem passado ao anonimato e são desconhecidos. Um despautério isso!

    Saudades daqui!
    Minha vida anda muito bandida! Rs.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  22. Ah! preciso demais assistir ao filme "Somos tão jovens", depois de te ler..a vontade veio com mais força..rsrs.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  23. Confesso que sou fã e que nunca parei para pensar assim sobre as musicas do Legião... mais o mundo não é perfeito e as pessoas menos ainda e a grande maioria não tem uma visão como a sua!

    Show a postagem.

    ResponderExcluir
  24. Bom, eu sou fã dele. Adoro a maioria das musicas, mas acho que como qualquer poeta/escritor ele tem o direito de ter uma face que não fazia trabalhos tão bons, isso não vai tirar o mérito pelas musicas maravilhosas.

    Beijos
    Pepper Lipstick

    ResponderExcluir
  25. A obra dele nunca me chamou tanto a atenção, mas essa sua série de piores é ótima.

    ResponderExcluir
  26. Não sou uma grande conhecedora de cultura musical brasileira, e afirmo sem nenhum medo que não suporto Cazuza. Só ideologia, e olhe lá. Quando à Somos tão Jovens, admito que gostei do filme. Mas apenas como filme, porque realmente duvido muito que a figura de Renato russo fosse daquele jeito. Quando à sua seleção, me diverti demais, principalmente com a parte marcianos invadem a terra e seu "dispensa maiores comentários"! haha

    ResponderExcluir
  27. Agora que ficou claro que vc gosta de muitos versos do Renato gostaria de te parabenizar por ter postado uma opinião contrária ao senso comum e, principalmente, com argumentos e coerência. Publicar um pensamento diferente do banal necessita não só de senso crítico, mas também de coragem!!!

    ResponderExcluir
  28. Porra, o cifrão nos irmãos Lemo$ foi foda,
    o pior que é isso mesmo.
    Tudo é money,
    mas os fãs nem se tocam.

    ResponderExcluir
  29. Eu gosto de Legião. O que eu nao curto eh aquela coisa de adolescente q acha q Legião eh subversivo. Ou que gostar de Legião eh "questionar o sistema". Talvez tenha funcionado na década de 80. Na década de 2000 (minha adolescência) eu nunca achei q colava mais. Tenho muita preguiça quando começam a cantar "geraçao coca cola" ou o refrao q me dá arrepios: q país eh esse? .. e ainda acrescentam "eh a porra do brasil". Preguiça. Apenas muita preguiça.

    No mais, eu ate vejo uma crrta poesia na "coisa coisando" =P

    ResponderExcluir
  30. Gostei de seu espaço.Sigo-Te agora(risos).Ah!Amoooooo legião urbana(risos)e ainda bem que tem quem não goste(risos)bjksss!

    ResponderExcluir
  31. Gostei de seu espaço,sigo-Te agora(risos).Ah!Amo legião e ainda bem que há quem não goste(risos)bjksss!

    ResponderExcluir
  32. Uma pena que os famosos sem-fazer-da-vida, vêem publicar sandices como vc...Te faço um desafio "sabichão", poste algo que vc tenha feito e que seja útil à alguém, afinal de contas vc deve ser perfeito!!! Não gostou...faça melhor!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernandinho, por que tanto ódio nesse coração? Vamos semear boas vibrações, celebrar a estupidez humana - voce deve ser peixes com ascendente em escorpião, né? Aprenda a rir de si mesmo e do mundo. E obrigado por ter usado meu texto como fonte de pesquisa em sua wikipediana postagem. Beijo na alma.

      Excluir
    2. Acho que seus comentários sobre a poesia de renato, cazuza e raul é falta de conecimento de do que venha ser poesia. O que é poesia pra mim talvez não seja para você. Pelo que me parece você valoriza muito a estética da palavra assim como os poetas parnasianos. porém o que você deixa de lado é a idéia da palavra ou frase. os grandes poetas do Século XX não se prendiam na rima ou em frases enxutas e com um português bem polido, mas ao contrário disso. Esse grandes focalizavam nossa atenção nas idéias que queriam trasmitir. um exemplo disso é o Poema de Carlos Drummond de Andrade chamado "no meio do caminho" onde a uma repetiça de palavras como pedra e caminho. porém o que o poeta quis trasmitir foi a idéia e não a estética da palavra que esta no poema. Manuel Bandeira também escreveu um poema curioso chamado Pneumotorax que é um diálogo de um médico e um paciente com tuberculose. esse definitivamente não é um poema belo que você possa recitar à pessoa amada, contudo há um significado profundo por trás dessas palavras que não estão muito longe da frase "cuidado com a coisa coisando por aí" ou "depois do começo", acho que você precisa entender que para fazer poesia você não precisa ser culto de mais, não precisa escrever difícil de mais, ou escolher palavras que já cairam em desuso. Pense na poesia como uma idéia e não em sua rima e ai sim você vai enterder o que Drummond quis dizer em sua poesia "Stop". acho que talvez você não goste muito dela, mas sabe como é, Esse carinha aí é só o maior poeta. boa leitura.

      Excluir
    3. Penso que "pode-se traduzir o que o poeta disse, mas nunca conseguiremos traduzir o que o poeta quis dizer". Todos os grandes pensadores, poetas , filósofos, compositores, escritores, artistas, enfim todos já tiveram seus dias onde a criatividade foi pouco ou quase nada compreendida.

      Excluir
  33. A Dança é uma música muito fóda! Os outros fãs que reclamaram dela devem estar com espírito revolucionário demais, porque o Renato faz uma bela crítica aos adolescentes rebeldes e que gostam de se drogar (talvez seja uma avaliação de si mesmo. kkkk). Confesso que de todas as músicas da Legião, apenas umas 3 ou 4 me deixam desapontado. Mas no geral, nem Bob Dylan (que admiro muito) deixa de pecar... Os Beatles nem se fala, têm músicas horríveis. kkkkk

    ResponderExcluir
  34. acho meu camarada que você não sabe o que significa poesia. os grandes poetas e pensadores não se prendem as palavras e sim nas idéias. um exemplo disso é "no meio do caminho tinha uma pedra, tinha uma pedra no meio do caminho". o Manuel bandeira não se preocupava muito com palavras, mas com idéias. exemplo disso é o poema pneumotorax. que fala sobre tuberculose. o poema não é bonito mas é significativo. O que muitos que apreciam poesia, precisam aprender é apreciar idéias e não palavras bonitas ou que pouca gente sabe o que significa porque tais já cairam em desuso. Esse seu papo é de quem fazia poesia parnasiana e tinha horro ao modernismo com seus versos livres. Acho que você precisa mais de Carlos D. de Andrade na sua vida. Apropósito se você tiver poesias escritas me passa por e-mail giraodaniel@gmail.com, eu quero vê se você escreve ao melhor do que Marcianos Invadem A Terra do Renato Russo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, voces de peixes com ascendente em escorpião não sao de brincadeira mesmo (#medinho).

      Ah, e meus poemas estão nas melhores livrarias ;¬)

      Excluir
  35. Quanta imbecilidade para um ser humano, o dono dessa pagina só pode ser um demente! Grande RENATO RUSSO um dos MAIORES MÚSICOS e POETAS do Brasil!! (SIM, SOMOS TODOS ATEUS!!) Ele só falou a verdade nessa música, pois o seu deus de merda não existe!

    ResponderExcluir
  36. "Eta, Eta, Eta, Eta, é a lua, é o sol é a luz de Tieta" - Caetano.

    "Quando nasci, um anjo torto desses que vivem na sombra disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida." - Drummond

    "Ó terras de Portugal, Ó terras onde eu nasci, Por muito que goste delas, Ainda gosto mais de ti." - Fernando Pessoa

    "Eu já desculpei muita coisa, você não arranjava outra igual, desculpe, marina, morena, mas eu tô de mal" - Dorival Caymmi

    Fervor adolescente e gostos musicais à parte, o motivo dos "intelectuais" implicarem tanto com o Renato, é justamente por sua maior virtude, ter uma obra da qualidade que tem, e ainda assim, ter conseguido ser extremamente popular. Posso dizer que conheço bastante do trabalho dos grandes poetas, dos grande letristas, e também gosto de ler bastante de anônimos ou semi anônimos... e ninguém, ninguém mesmo, chega perto das suas obras primas. Bobagens? É claro que ele tem, e um monte, como todos os outros. Mas quando ele acerta, ninguém faz igual. POETA sim, e dos melhores! Mas um "bicha-latina-americanisada-populesca" ser elevado ao nível dos grande reis intocáveis da panelinha culta? Eta, jamais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "americanizada", "grandes"... desculpem, fiquei com preguiça de revisar :)

      Excluir
  37. Legal a ideia de selecionar "O pior de...".
    Mas por favor vamos tirar os poetas do pedestal!
    O modernismo brasileiro tem quase 100 anos e o pessoal babando ovo de poetas-deuses.

    Merecemos um "Os piores poemas de Olavo Bilac"!
    "As piores sacadas de Mario Qintana"
    "As piores rimas de Carlos Drummond"

    Manuel Bandeira agradeceria.

    ResponderExcluir
  38. "E mais uma vez / De você fiz o desenho mais perfeito que se fez" - idealização constante, sobre o ser amado.

    "Trabalhei você em luz e sombra" - duas facetas das mesma pessoas ou dele próprio

    "Preparei a minha tela com pedaços de lençóis que não chegamos a sujar" - Amor não correspondido, desperdiçado

    "E fiz, então, pincéis com seus cabelos" - Tentando transformar o ódio contra a outra pessoa, em uma ferramenta de algo bonito, como a própria pintura que metaforicamente ele está fazendo.

    "E com lágrimas que não brincaram com você destilei óleo de linhaça" - A falta de sentimento no outro

    "Fiz carvão do batom que roubei de você / E com ele marquei dois pontos de fuga / E rabisquei meu horizonte" - A redenção do sofrimento, esquecer a pessoa amada, buscar outro futuro.

    "Tentando pintar essas flores com o nome de "amor-perfeito" e "não-te-esqueças-de-mim" - Ironizando as mentiras, com nomes das flores usadas na pintura da outra pessoa, ao descrever o relacionamento dos dois.

    Bom, isso é apenas o meu ponto de vista. Mas convenhamos, descrever sentimentos de um relacionamento através de uma metáfora, com linguagem coloquial, de um cara pintando um quadro? Se ele não é poeta, se isso não é poesia, apenas por não se encaixar nas convenções pré estabelecidas para tal: publicar em livro, isso é uma virtude, não um demérito. Pois além de escrever, ele ainda tinha dom para compor uma melodias populares, onde encaixou tudo isso, coisa que nenhum dos outros "poetas", reconhecidos como tal, teve. Portanto, realmente, ele não é um poeta, está acima disso. Eu, particularmente, em todos meus longos anos de estrada, nunca li absolutamente nada do mesmo nível. Agora, quanto seu artigo, realmente, alguns versos, assim como algumas músicas dele, são ruins, ninguém é perfeito. E gostei de blog fugir do lugar comum, só me incomodou a introdução.

    ResponderExcluir

Comente apenas se leu a postagem.
Comentários anônimos serão recusados.

Related Posts with Thumbnails