sábado, 26 de novembro de 2011

CALUDA, TAMBORINS!


          Para Jorge Bóris 

          Pegando carona num inusitado interesse da mídia pelo centenário do compositor e ator Mário Lago, e fugindo das onipresentes Amélias e Auroras, segue uma marchinha que ironizava a criação da Academia Brasileira de Música Popular, em 1941, intitulada "Caluda, Tamborins! ou de como o biltre do demo enredou em sua parlanda a trêfega Natércia" (traduzindo: "Silêncio, Tamborins! Ou como foi que o infame do diabo envolveu a alegria [de] Natércia no seu blá blá blá"), com uma  letra hermética que contrapunha o simplismo do gênero, mas essa, provavelmente, não passará em nenhum especial da TV.

Caluda, tamborins, caluda! Um biltre meu amor arrebatou.
No paroxismo da paixão ignota/ Supu-la um querubim, não era assim.
Caluda, tamborins, caluda... Soai plangentemente, ai de mim.
Vimo-nos num ror de gente /E, sub-repticiamente,
O olhar seu me dardejou.
Cáspite, por suas nédias madeixas/ Que suaves endechas
Em pré-delíquio o pobre peito meu trinou.
Fomo-nos de plaga em plaga, /Pedi-lhe a mão catita,
Em ais de êxtase m'a deu.
E o dealbar de um amor/ Em sua pulcra mirada resplandeceu, olarila!
Férula, ignara sorte/ Solerte a garra adunca
Em minha vida estendeu! Trêfaga ia a minha natércia,
Surge o biltre do demo/ Rendida à sua parlanda, ela se escafedeu.
Vórtice no imo trago.
São gritos avernais que no atro ódio exclamei.
Falena sou, desalada...
Ó numes ouvi-me: aqui del-rey!

16 comentários:

  1. Boa noite...Mario Lago, ah, como queria ter tuas memorias, historias, ser um alguem com dons tao maravilhosos...Mas porque voce faz poema mesmo? Por que sou toda sentimentos...abraços

    ResponderExcluir
  2. 100 anos de Mário Lago,
    mas so vejo o machismo de Amélia por aí, a letra de "Caluda" é muito divertida, nem parece que é portugues, tem que ficar "traduzindo". E essa versão do Eduardo Dusek também é otima.

    ResponderExcluir
  3. Gosto bastante desses poemas contraversos. Um pouco chamativo pela sua forma. Adorei!

    ResponderExcluir
  4. Adorei a incantável canção: bom humor, uma poética de ourives, um português lusitano, metalinguístico e zombeteiro, carnavalesco! Provocou muitos risos silenciosos ! Muito legal mesmo, Herculano, adorei!Obrigada!

    ResponderExcluir
  5. sempre admirei esse cara. tenho o maior respeito por ele.

    abs

    ResponderExcluir
  6. Um ótimo compositor... e um ator impecável que faz falta.

    O Falcão Maltês

    ResponderExcluir
  7. A letra toda precisa de tradução. Não acho o interesse por ele inusitado, Mario Lago era homem multimídia, mesmo antes desse termo existi. No mais trabalhou nos meios de comunicação mais influentes do país.

    ResponderExcluir
  8. Conheço essa porque meu pai cantava.

    Por que "inusitado", Herculano?

    Um beijo.

    Tá melhor o pé, guri, ou ainda anda aos pulos por aí?

    =)

    ResponderExcluir
  9. Lembro a sua interpretação do personagem Atílio na novela "O Casarão"... um desempenho que passados 30 e tal anos recordo.

    ResponderExcluir
  10. Definitivamente não é da minha época! rs

    ResponderExcluir
  11. Adoro essa música, Herculano. Conheci num show que o Mário Lago fez aqui, quando já estava bem idoso. Abraço!

    ResponderExcluir
  12. As vezes eu me pergunto "pra onde foi tudo isso?" e não tenho resposta que me socorra. aff

    bacio

    ResponderExcluir
  13. um astro das mil artes ... perfeito em tudo o q se propôs a fazer nesta vida ...

    ResponderExcluir
  14. boris(novocomputer)22 de dezembro de 2011 00:20

    porra! to lendo agora babo!vou ouvir mario agora na voz de orlando silva.se texto foi cortante como voce

    ResponderExcluir

Comente apenas se leu a postagem.
Comentários anônimos serão recusados.

Related Posts with Thumbnails