quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

OUTRO CARNAVAL

outro carnaval
Herculano Neto

sou uma porta-bandeira
sem samba-enredo
sem adereço
sem alegria

sou uma porta-bandeira
sem cadência
sem evolução
sem fantasia

sou uma porta-bandeira
sem artifícios
sem cor ou brilho

sem eira nem beira

38 comentários:

  1. O carnaval é um assunto que prometi que nada escreveria a respeito, moro praticamente no intitulado “circuito da folia” em Salvador e conheço muito bem o que não aparece na televisão; no entanto o poema postado aqui vai além do mero festejo carnavalesco, ele é a antítese da alegria fabricada, um carnaval sem carnaval. Musicado pelo cantor e compositor Márcio Valverde faz parte do livro CINEMA.

    ResponderExcluir
  2. pois então ... já se foi o tempo em que Carnaval era a grande festa popular, livre, leve e solta ... hoje só o mercantilismo de tudo e de todos ... enfim ...

    oportuna reflexão, sem contar a beleza e o lirismo da mesma..

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  3. "Carnaval, carnaval. Eu fico triste quando chega o carnaval"

    ResponderExcluir
  4. Todo carnaval tem seu fim. Amo essa música.
    Quanto ao carnaval, prefiro viajar, mas gosto de ver um pouco os desfiles das escolas de samba. Acho muito brasileiro isso, então devo valorizar.
    abs

    ResponderExcluir
  5. se for assim eu também sou uma porta-bandeira .-.

    beijas neto :*

    ResponderExcluir
  6. Me senti a própria sendo gaúcha e querendo ser baiana...

    ResponderExcluir
  7. Não gosto do Carnaval.
    Mas to lendo tanta coisa linda...pelo menos algo de lindo surge!

    Beijo

    ResponderExcluir
  8. ow época sem fim pra mim... sinceramente acho muito mais 'carnaval' viajar pra serra, descansar, sair um pouco da vida da cidade.

    Beijos!!!
    ah, obrigada pelo comentario. tbm acho que toda literatura é válida, mesmo que não seja o nosso 'tipo'. :)

    ResponderExcluir
  9. Adorei o texto, Herculano!
    Essa antítese é que chama a atenção de todos aqueles que não apreciam essa alegria fabricada, restando apenas o carnaval sem carnaval!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Herculano...

    Tua poesia retrata meu estado de espírito em relação ao carnaval...

    Ponto.

    Prometi que não ia mais difamar essa festa que traz alegria a tantas pessoas (apesar de eu continuar sem entender o porquê)

    Abraço.

    ResponderExcluir
  11. Eu também moro no meio da folia e é uma barra.
    Valeu o poema.

    ResponderExcluir
  12. acho que representa bem meu estado de espírito para essa época do ano.

    ResponderExcluir
  13. Outros carnavais de nostalgia, me fazem pensar a poesia. Abraço.

    ResponderExcluir
  14. Herculano,
    Adorei seu espaço!

    É meu camarada! acabaram com o carnaval... que mania besta do homem é essa de corromper td o q é bom... a fantasia, o lirismo, o natural.
    Estou aqui, mis uma porta-bandeira, sem eira nem beira, sem samba, mas gostei de ficar por aqui.
    bj

    ResponderExcluir
  15. O carnaval é mesmo uma época não unanime. São tantas opiniões divergentes! Gostei do poema, bem legal.

    ResponderExcluir
  16. Caro amigo, por trás do carnaval, há um outro carnaval, e este é tristemente real, tal qual o dessa porta- bandeira. Abraço.

    ResponderExcluir
  17. A porta-bandeira carrega
    o amor pela escola
    junto à haste e o coração.
    Já a mais nova atriz da tevê
    ganha destaque como rainha
    e samba empinando o bundão.

    rs...

    Seu poema é muito bonito, escrevi esse agora só porque me lembrei das meninas da comunidade que perdem seu posto para as famosas em alta que às vezes nem ouviram falar da tal escola de samba.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  18. Gostei muito. Um bom reflexo dos dias atuais. Muitas coisas perderam o seu brilho. A sua alegria inocente. E o carnaval é uma delas ...

    abraços

    Gisele

    ResponderExcluir
  19. Olá, gostei do seu espaço!!!

    Parabéns!!!

    abraço

    ResponderExcluir
  20. não gosto de carnaval, não sei porque exatamente...mas não gosto.

    ResponderExcluir
  21. No meu carnaval eu faço a festa e assim "sou uma porta-bandeira sem samba-enredo, sem adereço.."

    ResponderExcluir
  22. Viu como eu preciso de pouco pra ser feliz?! ahehaehae

    ResponderExcluir
  23. Apesar de vivermos uma época onde o samba tem menos valia que o enredo este como dizia Nelson Sargento agoniza mas não morre. Ainda existe carnaval, meio surrado, escondido por alguma coisa grande que vc pode dividir em 5x sem juros.

    ResponderExcluir
  24. Se portas uma bandeira é isso que importa. Lindo.

    Beijo Josi

    ResponderExcluir
  25. Obrigada pela tua visita e por tuas palavras.

    Não curto muito o carnaval não, mas gostei do que escreveu.
    Há coisas criativas, apesar de assuntos não agradáveis para todos.
    Gostei!

    ResponderExcluir
  26. Então acho que ele não era um porta-bandeira.

    ResponderExcluir
  27. a grande ilusão do carnaval: 2 milhões de pessoas nas calçadas em que sempre andei... E eu não consigo ser mais um.

    Grande abraço,
    mR.

    ResponderExcluir
  28. E que venha a quarta-feira!

    Abraços.

    ResponderExcluir

Comente apenas se leu a postagem.
Comentários anônimos serão recusados.

Related Posts with Thumbnails