terça-feira, 19 de janeiro de 2010

MUITO ALÉM DO JARDIM

MUITO ALÉM DO JARDIM (Being There, 1979) conta a trajetória de Chance, um jardineiro ingênuo e analfabeto que conhece o mundo apenas pelo que assiste na TV e que depois da morte do seu patrão é obrigado a se deparar com a realidade da vida externa. Interpretado genialmente por Peter Sellers, que ganhou o Globo de Ouro pelo trabalho, Chance vive uma fábula moderna com sua falta de malícia na metrópole, onde suas “metáforas” sobre jardinagem são interpretadas como lições políticas, econômicas e sociais. “Muito Além do Jardim” antecipa o culto à celebridade instantânea, ironiza o lugar de destaque que a televisão ganhou na sociedade, desconstrói mitos e a manipulação promovida pelos meios de comunicação (exemplo emblemático é quando questionado sobre jornais Chance simplesmente responde que não lê, e a repórter imediatamente anuncia para a câmera: "Muitos homens não leem jornal algum, mas apenas um teve coragem de admitir"). Todos tentam entender, sem sucesso, Chance (agentes federais, jornalistas e até o presidente americano) e esse não entender é transportado em sua célebre cena final para o espectador – que, ao querer deduzir o que aconteceu, se vê na mesma situação das demais personagens. MUITO ALÉM DO JARDIM é uma das melhores comédias de todos os tempos, refinada e sem as artimanhas desgastadas do humor físico, tudo habilmente resolvido no texto inteligente e engraçadíssimo. Seria a refilmagem certa no momento certo, mas atores como Jim Carrey, Steve Carell ou Adam Sandler (por mais que já tenham tentado) jamais encontrariam o tom e a cadência de um Peter Sellers – melhor então ficar, até que a indústria apareça, com o original.

8 comentários:

  1. afastado dos blogs e do meu mesmo por problemas do computador, é sempre bom visitar o teu.

    ResponderExcluir
  2. Assiti no TCM na ultima semana e me diverti muito, e talvez Steve Carell nao seja uma ma opçao, como Steve Martin foi.

    ResponderExcluir
  3. Parece ótima sugestão. Vou te seguir pra ver o que rola aqui.. dá uma olhada lá no meu

    abraço

    ResponderExcluir
  4. Tem esse filme na minha faculdade... nunca dei mto crédito nele! Mas agora que vc falou eu vou assistir!

    ResponderExcluir
  5. Já li esse livro e também vi o filme. Muito legal mesmo, recomendo! Beijoca!

    ResponderExcluir
  6. Amigo Herculano, vou seguir a pista.Muitas vezes fico pensando se não seria melhor não ter visto nada...Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Herculano,

    Li tudo o que vi aqui. Li descompromissadamente como gosto de fazer, mas prestando atenção a cada linha e me atolando vez por outra nas entrelinhas. Areia movediça.

    Olha! Como diz uma amiga portuguesa que tenho, gostei IMENSO!

    Parabéns pelo espaço. Parabéns por fazer escrita. Este post em especial fala de um filme que está entre os que tenho em minha coleção e você falou muito bem dele.

    Quando a seu comentário no post, está certo. Você não faz de ninguém sua prioridade e assim você vive... Viver deve mesmo ser a maior de nossas prioridades. Se o fosse talvez, pelo menos a maioria de nós, deixariamos de chorar mágoas e culpar os autores coadjuvantes de nossa vida que estão alí cumprindo o papel que os foi permitido cumprir.

    Voltarei sempre!

    Abraços Parintinenes

    Sue

    ResponderExcluir

Comente apenas se leu a postagem.
Comentários anônimos serão recusados.

Related Posts with Thumbnails