terça-feira, 21 de julho de 2015

“BATIDAS NA PORTA DA FRENTE, É O TEMPO”

       –  Hey?! Tem alguém aí? Alguém ainda aparece por esses lados?
      Numa época em que tudo parece se diluir na efemeridade do Instagram e Feicebuque, nos lápis de cor dos livros de colorir, um blogue parece ser um veículo cada vez mais sem importância, para poucos destemidos que não se deixam perder no vazio excessivo das redes sociais.
      Mesmo assim, gostaria de postar mais. Não me falta assunto: falta areia na ampulheta.
     Sempre rejeitei a desculpa da falta de tempo, acreditava que quando você quer realmente realizar algo tudo se torna adiável. Organizar prioridades deveria ser a solução óbvia. Mas o que fazer quando após eliminar tudo o que for desnecessário só lhe restar dezenas de “prioridades”?
      Recentemente, em um cálculo pouco apurado, sem consulta a gráficos e estatísticas, cheguei ao surpreendente resultado de que se o dia tivesse 36 horas não seria suficiente.
      Vejo minha família e meus amigos menos do que eu gostaria; os jogadores do meu time são, para mim, notórios desconhecidos; livros se acumulam na estante, na prateleira destinada às próximas leituras; filmes desaparecem nos fins de semana de estreia sem a minha presença numa sala de cinema. Prioridades? Viajar a passeio, pedalar no parque, cultivar bonsais, conhecer meus vizinhos além das formalidades do elevador, ter um filho, um cachorro...
      Talvez, e agora eu me permito uma resignada elucubração, seja consequência de mudanças na vida pessoal e profissional, o fim das certezas confortavelmente estabelecidas. Ou talvez apenas procure desculpas que não cabem no manual de autoajuda, talvez...
      Enfim, gostaria de escrever e publicar aqui mais crônicas, presentear os desavisados com a minha contraditória opinião. Gostaria de tanta coisa, e já faço costumeiramente tanta coisa que adoro.
       Hey?! Tem alguém aí? Alguém ainda aparece por esses lados? Hey?!
Related Posts with Thumbnails