terça-feira, 27 de agosto de 2013

TRÊS

    
          Soube por estranhos, semanas depois, sobre o falecimento. Esbocei meu pesar numa nota de solidariedade, enquanto observava nós três, ainda jovens, no porta-retratos da escrivaninha. Mas não enviei.

16 comentários:

  1. E fica um vazio. Talvez por não tê-lo visto pela última vez.
    Sempre sinto isto ao ver o retrato de uma amiga do colégio . Éramos como irmãs.

    um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Forte e tenso ... isto é comum em nossas vidas ... as circunstâncias afastam as pessoas e qdo nos damos conta da perda é q de alguma forma lamentamos ...

    ResponderExcluir
  3. Num triangulo amoroso
    sempre há alguem
    que sofre mais do que os outros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que sofre mais é sempre o brinquedinho disputado...
      Sim, imagina a cena, uma criança segurando o brinquedo de um lado, e a outra criança do outro... até que este se parte...

      As duas crianças se entreolham, passeiam os olhos pelos cacos, e saem alheias do brinquedo quebrado no chão...
      Esse é o problema: quem sofre e se quebra é sempre o brinquedo disputado.

      Coisas da vida.
      =)

      Excluir
  4. O enterro foi ontem às 16h no Campo de Caridade, não pude ir, mas mandei uma rosa, uma única rosa, estava quase sem grana e foi o que deu para comprar. Que Deus tenha piedade do paraíso.

    ResponderExcluir
  5. É...
    Triângulos lembram-me sempre Jean Grey, a doce telepata e telecinética (favorita do Professor Xavier), disputada pelo amor de dois homens: o que ela amava (o apaixonado e gentil Ciclope), e o que ela não amava mas vivia se preocupando em ajudar ele (o bruto de ossos de titanium e fator auto-cura Wolverine)...
    Certo é lembrar que nas famosas HQs, depois de se transformar na Força Fênix de uma forma incontrolável até para a mente potente dela mesma, morre... morre num confronto final absurdo, onde forças do bem e do mal se unem contra ela...
    É subjugada e morta num beco da lua.

    Nos capítulos finais da HQ, diz-se assim:
    "Jean poderia ter vivido para se tornar uma magnífica deusa, mas era mais importante que ela morresse como um patético ser humano mesmo."

    Por isso... que mal há em não enviar notas de solidariedade para quem está fadado a morrer? Afinal de contas, é aquela coisa, se não soubemos dar valor enquanto havia a vida, para quê então chorar mortos?

    Deixe que os mortos enterrem seus mortos...
    E como faz-se isso?
    Confesso que não sei.

    Olá Herculano
    =)

    ResponderExcluir
  6. Faz parte da vida.
    Ainda bem que temos as lembranças e as fotografias..

    ResponderExcluir
  7. Absurdamente triste , como são as perdas .

    ResponderExcluir

  8. Fiquei me perguntando (e lembrando de mim): o que a gente não envia chega ao destino?

    Beijos,

    ResponderExcluir
  9. E aquela vontade de reviver o passado que nos atormenta.
    Seu blog como sempre está maravilhoso.

    ResponderExcluir
  10. Aquela velha vontade de reviver o passado.

    ResponderExcluir
  11. Esse "não enviar" me inquieta...Um abraço!

    ResponderExcluir
  12. Digo o mesmo que a Bia! Fiquei um pouco triste com isso.

    ResponderExcluir
  13. Não importa o '' nao enviar'' mas sim o nao viver, entao acalma-te a mente ... Vc fez parte da história de alguem e vice versa
    Bom voltar aqui

    Beijo

    ResponderExcluir
  14. Resumiu tudo em poucas, porém profundas palavras!
    Grande abraço e sucesso!

    ResponderExcluir

Comente apenas se leu a postagem.
Comentários anônimos serão recusados.

Related Posts with Thumbnails