segunda-feira, 10 de junho de 2013

CHIAROSCURO

Contaminado pelo politicamente correto, tão em voga nesses novos/velhos tempos, abandonei gradativamente algumas expressões que minha inocência e domingos maravilhosos assistindo a “Os Trapalhões” sempre consideraram naturais. Culpa, talvez, dos movimentos pelos direitos das mulheres, dos afrodescendentes e dos homossexuais (eu e esse hábito de me identificar com as minorias, mesmo quando a minoria não é tão pequena assim).

Não é difícil me flagrar repreendendo alguém quando diz algo como mulher no volante perigo constante, sapatão, viado ou a coisa tá ficando preta, ainda que seja apenas por “brincadeira”, “sem maldade”. 

Aprendi que nem toda brincadeira é inofensiva.

Não digo que fulano tá na lista negra ou que gato preto dá azar. Não uso os verbos denegrir e esclarecer. Não coloco o vocábulo negro após câmbio, mercado, caixa, humor, magia, ovelha entre outras palavras.

No entanto, hoje, em um momento de satisfação e legalidade (importante frisar), fiquei sem saber se eu poderia falar que um empreendimento renderia uma grana preta.



20 comentários:

  1. Oi, tudo bom?
    HAHAHA, muito bom o texto, irônico, sarcástico, conflitante e que expressa sua opinião de forma clara! Adorei!
    Passando pra te avisar que meu blog, em parceria com a autora FML Pepper e outros 3 blogs, está sorteando um KINDLE!
    Vai perder?
    Beijos
    Endless Poem

    ResponderExcluir
  2. Sensacional! o sarcasmo e a ironia ficaram perfeitos e pertinentes ... rs

    ResponderExcluir
  3. O foda é que hj em dia nao se pode falar nada,
    esses militantes enchem o saco.

    A coisa ta, literalmente, ficando preta.

    ResponderExcluir
  4. Bom dia! Acho que a coisa tá tomando uma proporção exagerada... Muito bom! adorei a postagem.

    ResponderExcluir
  5. Bom dia meu querido, sou do tempo
    que.... agente falava de tudo e não era preconceito
    a gente ria brincava , chamava alguém de neguinho, gorducho
    quatro olho, magricelo e por ai vai, .....
    Hj temos que ter cuidado pq tudo é bulling, é preconceito
    então vamos ter cuidado, e brincar faz muito bem
    Abraços com carinho de um dia de sol
    Bjuss
    Rita!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Por que a ovelha negra da imagem tá desconfiada?
    Está em desvantagem causa medo?

    O importante é nao ser minoria ou maioria,
    o importante é ser igual.

    ResponderExcluir

  7. Exageros (tantos) à parte, comecei a ficar atenta às expressões aparentemente inofensivas. Porque (e é verdade) muitas expressões dessas se infiltraram naturalmente no nosso linguajar. Mas apenas para ter consciência do que falo.Um dia conversávamos, entre amigos, sobre a expressão "manhã é dia de branco", se teria ou não uma origem de cunho racista, ninguém sabia, fui pesquisar e encontrei VÁRIAS explicações não-racistas. Ainda assim, cada vez que ainda ouço, a sensação é de que, de algum modo, há uma ofensa aí!

    Beijos,

    ResponderExcluir
  8. Lembrei agora de certa ocasião quando minha filha tinha uns 5 anos, e disse: - Mãe, o céu está tão preto! Era noite, obviamente, e a vizinha corrigiu, mais ou menos assim: - Não fala assim não do céu! Se diz escuro. Ao que prontamente, em sua lógica infantil e superego ainda não desenvolvido, interpelou: - Mas Mainha, e não é a mesma coisa?

    ResponderExcluir
  9. O empreendimento renderia uma grana gorda.

    Não, gorda não, que também não é politicamente correto.

    O empreendimento renderia uma grana afrodescendente.

    Pff.

    Natália T.

    ResponderExcluir
  10. kkk muito bom !! o politicamente correto chegou e tá pegando... rs 'neguinho' tem medo de falar sem sentir e ser enquadrado na lei dos 'direitos humanos' ,mas onde? que direitos? quem tem mais ? o branco o preto o mulato? e as cotas? não estão aí pra discriminar ?
    tudo muito inexplicável .
    _ coisa de brasileiro ...
    Obrigada da visita , um abraço

    ResponderExcluir
  11. Sensacional... :)
    Fiquei aqui viajando nos verbos denegrir e esclarecer. Mind blowing.

    ResponderExcluir
  12. Nessa nossa era tudo ofende e tudo tem que ser repensado e tudo pode ser processado. E nessas acho sinceramente que vamos ficando mais preconceituosos do que nunca, não?

    ResponderExcluir
  13. Algumas vezes nem é por preconceito, habito, dialeto.

    ResponderExcluir
  14. Muitas coisas aqui que eu nunca havia parado para pensar.
    Muito bom ler esse texto hoje.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  15. Pois é, Herculano. Antes ,qualquer coisa que dissesse era indiferente. Hoje em nome da legalidade temos que tomar cuidado até com a própria sombra.

    E falando da indiferença eis aqui para todos os que compartilham o seu blog:

    CASA DAS BONECAS

    "Após a quimioterapia, não havia quem conseguisse comunicar à Cecília que seu braço seria amputado. Indiferente àquele dilema, Cecília brincava no quarto com suas bonecas: todas carecas e com braços cortados."

    (trecho do livro-SALVADOR ABAIXO DE ZERO)
    e tem muito e muito mais :" Direito prescrito" " , "O menino albino das sete portas"-um livro pequeno mas de grande conteúdo com muitas crônicas- RECOMENDO

    E você tinha razão Herculano. Quando pensava que havia perdido o livro na rua eis onde o encontrei:
    entre as pilhas de jornais que nunca consigo tempo para ler.

    Um bom final de semana para você.


    ResponderExcluir
  16. ótimo texto.
    Em relação a grana preta, como as outras palavras são substituíveis,não use essa também. (rs)

    ResponderExcluir
  17. com ironia se vai dizendo coisas, nem sempre politicamente correcto.
    um bom fim de semana.
    um beijo


    :)

    ResponderExcluir
  18. Querido Herculano Neto, para um baiano isso é complicado, pois acredito que a maior população negra do país se concentra na Bahia, imagina no resto desse país, que infelizmente, é racista por natureza. Como negro que sou, acho pertinente esta tua colocação, mas o que é politicamente correto? Só sei que percebe muito bem quando querem me ofender através de minha raça, ou se falou porque se fala, né?
    ps. Carinho respeito e abraço.

    ResponderExcluir
  19. Seu texto me lembrou os bate-bocas do congresso que passam na TV Senado às vezes. Todo mundo se ofendendo, mas com o "ilustríssimo", o "digníssimo" e o "excelentíssimo" devidamente usados. Coisa de doido.
    bjo

    ResponderExcluir

Comente apenas se leu a postagem.
Comentários anônimos serão recusados.

Related Posts with Thumbnails