quarta-feira, 28 de novembro de 2012

SALVADOR ABAIXO DE ZERO, por Edgard Navarro*

Superoutro, 1987, direção Edgard Navarro
Fatos de uma tragédia urbana e existencial contaminam e perpassam os contos de Herculano Neto. Seu estilo imprevisível faz trapaça com o leitor, promete e negaceia; sacaneia e pirraça, entorna o caldo e lamenta o ocorrido. Temerário e malcriado, ele trafega na contramão, nunca estando onde se espera. E assim surpreende com momentos de veracidade e dor pungente. Sempre dilacerado, Herculano reúne coragem e velhacaria, prosódia barata ou complicada, conforme a conveniência, tudo de caso pensado, desorientando a seu bel prazer. Me espanta o desencanto humanitário desse mestiço do Recôncavo! Deuses me defendam da saliva sulfúrica, corrosiva, desse gracioso íncubo, desgraçado súcubo. Bukowski! Quanto asco, sordidez, sarcasmo, desventura, cinismo, Peréio! Penso em rituais macabros de injúria e autopunição. Amar o verdugo, lamber o aço impiedoso de sua espada. Aqui e ali Camões e Camus me assaltam, o desconcerto do mundo, o absurdo e o suicídio: um dia os cenários desabam e é preciso imaginar Sísifo feliz. Também nos evoca o humor-escárnio de Augusto dos Anjos: tuberculose, impotência, desprezo e mais asco. E a tudo preside a náusea-sartre. De Clarice nos chega a mesmice, a vida sem magia e sem romance de uma Macabéa, o fabuloso destino de uma Emília Pereira (Amélie Poulain). Além de uma colecionadora de borboletas de mentira, os braços amputados de bonecas carecas com câncer nos ossos e um menino suicida a quem disseram que teria o corpo retalhado para ser utilizado em feitiçarias. Pobre de mim, animal compassivo, lá no fundo desse pântano viscoso diviso a pálida sombra de uma fina coisa qualquer – digna, diáfana, volátil. E embaixo dos escombros da mina encontro beleza. Toda a beleza que se negou no instante primeiro da abordagem. Afinal, um mineiro soterrado precisa de luz e ar e (valham-me os deuses!) de amor! 

Cineasta


SALVADOR ABAIXO DE ZERO / EDIÇÕES P55 - COLEÇÃO CARTAS BAHIANAS / 
R$ 15,00 (solicite seu exemplar diretamente com o autor) / 
OU NO SITE DA LIVRARIA CULTURA

13 comentários:

  1. Herculano meus sinceros parabéns em breve estarei lendo-te ...e este marcante depoimento de Edgar Navarro é muito verdadeiro Parabéns Pedro Pugliese

    ResponderExcluir
  2. O comentário em si é uma obra de arte. Parabéns, Herculano!

    ResponderExcluir
  3. VocÊ vem lançar aqui em Brasília?

    ResponderExcluir
  4. Meu caro, ter um texto escrito pelo grande Edgar Navarro, realmente não tem preço, certeiras as palavras, bem a forma dele se expressar, quase que consigo ouvi-lo ao ler.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pela repercussão do livro, Herculano! Muito sucesso!

    ResponderExcluir
  6. Não esperaria menos de você. Parabéns meu caro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Meus parabéns...E te "conhecer" é, para mim, uma honra!
    Votos de mais e mais sucessos.
    BShell

    ResponderExcluir
  8. deste lado do oceano, como já disse uma vez, não chegam as vossas histórias e os vossos livros, por aqui vou sabendo e descobrindo um pouco

    adorei o que li,pela mão de outro escritor, parabéns pelo livro

    beijinho

    ResponderExcluir
  9. quantas palavras bem escolhidas! gostei mto da crítica, viu? que este seja apenas os primeiros degraus de uma longa escadaria adiante!

    bjs, k.

    ResponderExcluir

Comente apenas se leu a postagem.
Comentários anônimos serão recusados.

Related Posts with Thumbnails