segunda-feira, 10 de setembro de 2012

(NÃO) VOTE EM MIM

Tem gente que não suporta, que desliga a TV, que nem quer ouvir falar, mas contrariando o bom senso e toda lógica possível, costumo aguardar ansiosamente pelo início do horário eleitoral gratuito no rádio e na TV (que sem muito esforço consegue ser mais divertido do que muito programa de estrela global por aí), especialmente quando é dia dos candidatos a vereador.

Impossível permanecer indiferente aos personagens, jingles e slogans que se sucedem na tela, ainda estou rindo de um e já surgem mais dois igualmente inusitados e cômicos. Sei, sei, sei... Não é muito elegante fazer pouco caso e rir das pessoas dessa forma, mas depois de eleitos eles não farão isso durante quatro anos com a gente?

Campanha municipal possui suas peculiaridades e nos coloca mais perto dos candidatos: é a caixa do banco, o cara do cafezinho, a revoltada do sindicato, o médico boa praça, um tio, um amigo, um conhecido, um vizinho, um colega do trabalho, um ex-colega da escola... Todo mundo postulando uma cadeira na Câmara da cidade. Todos com o sorriso fabricado na foto do santinho. Todos “em pânico mal dissimulado” nos seus preciosos segundos televisivos. Todos em rápidas e breves frases, às vezes apenas uma, resumindo sua proposta de campanha.

Depois de ver um candidato se enrolar completamente com as palavras, percebi como deve ser difícil resumir suas ideias e promessas em tão pouco tempo. Tentei fazer esse exercício em casa, em frente ao espelho, e o ridículo foi inevitável. Na poesia e no conto, procuro buscar sempre a concisão, fazer do mínimo o máximo, mas como fazer o mesmo numa propaganda eleitoral? Tentei novamente e dessa vez pareci ainda mais ridículo.

Melhor ligar a TV e rir dos mestres.

34 comentários:

  1. Adorei o texto, leve, engraçado, muito bom!

    ResponderExcluir
  2. Ola!!

    Ótima crônica, e na verdade além de não ver os candidatos as pessoas ainda votam nesses "mestres" achando que estão se vingando do governo, mas na verdade estão tomando do próprio veneno.

    Tenha uma ótima semana.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Herculano, candidata-se e terá o meu voto,
    certamente teremos mais poesia no legislativo.

    ResponderExcluir
  4. Herculano, eu gostaria de poder rir. É o horário humorístico, não de propaganda política. Mas confesso que me entresteço cada vez mais. Há poucos dias enviei mensagem para o espaço dedicado a leitores de um joprnal, mas evidentemente que não publicaram dessa vez. A mensagem era ensinando as pessoas a anularem o seu voto. Até hoje muita gente acredita que o voto em branco é a mesma coisa que o voto nulo. Pela primeira vez na vida, recuso-me a dar o voto a quem quer que seja. Recuso-me a fazzer parte desse circo. E pra quem não sabe, o voto em branco ajuda a algum candidato. O nulo não. O voto nulo é um protesto válido, traduz a insatisfação do eleitor com os candidatos. Tenho ensinado a muitas pessoas com quem converso como anular o voto. Para anular o voto é preciso digitar um número inexistente e confirmar. Aparecerá no terminal "número incorreto, corrija seu voto", mas ainda assim a gente confirma e anula o voto. Ninguém é obrigado a votar em quem não confia.

    Beijos, Herculano

    ResponderExcluir
  5. Eu voto com consciência
    voto no candidato:
    Porque V. faz Poema :)
    Beij(inho)

    ResponderExcluir
  6. No início, também gosto. Mas depois cai na rotina, e os hilários perdem a graça.
    Esse ano, como em tantos outros, mas nesse ano mais, estou completamente desanimada pra votar.

    beijoss

    ResponderExcluir
  7. Eu sempre assisti também, enquanto vivia no Brasil.

    Vai do trágico ao cômico em meio segundo. A gente não sabe se ri ou se chora (na hora, porque depois a gente sabe que vai chorar...)

    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. "Campanha municipal possui suas peculiaridades e nos coloca mais perto dos candidatos: é a caixa do banco, o cara do cafezinho, a revoltada do sindicato, o médico boa praça, um tio, um amigo, um conhecido, um vizinho, um colega do trabalho, um ex-colega da escola... Todo mundo postulando uma cadeira na Câmara da cidade. Eu acrescento aí o porteiro do prédio onde eu trabalho.

    Por falar nisso, estou com uma dúvida assaz atroz: não sei se voto na Mulher Pera, no Furmigão, no Theomário da Padaria, no Sérgio do Postinho, ou no Serginho do BBB, a lôca!

    ResponderExcluir
  9. Ótimo texto, Herculano! Hoje apareceu um candidato aqui no trabalho, pra dizer "Sou simpres e guinorante porque sou do povo e quem é do povo é bão". Depois de 15 minutos de "brabrabrá", concluiu com "Nem que eu quisesse robá, eu num robava porque a escola do pobre num dá competença pra robá dereito". Abraço!

    ResponderExcluir
  10. Eu, sinceramente, estou entre o choro e o riso. ;)

    ResponderExcluir
  11. Acho que devido ao pouco tempo ofertado, recorrer às maneiras engraçadas de expor suas propostas, é uma forma de fazer com que os eleitores lembrem mais rapidamente dos candidatos. Mesmo que pra isso os próprios candidatos revelem o modo como vão guiar o mandato, caso eleitos: com brincadeiras e também artimanhas para favorecer a si mesmo.
    Esse teu post, Herculano, me lembrou de um do blog do Carpinejar em que ele trabalha em tentativas cômicas de fazer propagandas eleitorais, caso ele fosse politico. Vê: http://carpinejar.blogspot.com.br/2012/09/coringa.html
    ;}

    ResponderExcluir
  12. o pior mesmo são as músicas grudentas.... se o critério for boa música nenhum ganha.

    abraço

    ResponderExcluir
  13. Eu também dou muita risada, mas este ano estou sem paciência. Gostei do seu santinho e do partido. Rs. Bjs

    ResponderExcluir
  14. Eu penso que nem você e assisto mesmo ao horário político gratuito, especialmente na noite dos candidatos a vereador justamente para poder assistir a essas "figuras". Acho que só a presença de tipos como esse são a prova da decadência da política e do senso de que, como dizia Tiririca, "pior que tá não fica". O pior, nisso tudo, é que fica BEM pior mesmo. E a gente ri pra não chorar.

    ResponderExcluir
  15. Pior que tudo isso é a cidade que já não é tão bonita cheia de cavaletes por todas as praças. Já não tem muito verde, ainda o cobrem com os benditos sorriso de pânico. hahahaha


    ResponderExcluir
  16. Herculano, no meu fim de mundo o horário eleitoral é uma espécie de 'Show de Truman', é possível conferir inúmeras maneiras de se portar como um ridículo aspirante a ladrão em todos os lugares da pequeno feudo. A cena mais interessante foi em um velório...isso mesmo, os candidatos à prefeito foram fazer propaganda de si mesmos em um velório!

    ResponderExcluir
  17. E as propagandas que jogam em nossos quintais?? É de morrer de rir. Dia desses li uma em que o candidato dizia que desde cedo aprendeu o valor do trabalho, porque tinha que guardar o dinheiro que ganhava para comprar linhas e pipas que ele tanto adorava.

    Marli

    ResponderExcluir
  18. Tem um colega meu que diz que sinônimo de solidão é assistir ao horário eleitoral. Bom, se for, sou bem solitária.. pq tbm acho divertidíssimo assistir ao horário eleitoral, em especial os de cargos ao município, pelas mesmas razões que você já citou (além do fato de, em geral, serem muito mais toscos e, consequentemente, mais engraçados que os de cargos estaduais e, principalmente, pra presidente). Eu só não tenho é paciência pra assistir todos os dias - como você parece fazer..

    Obs.: ficou a curiosidade. Qual seria sua promessa de campanha? E seu chavão? ;)

    ResponderExcluir
  19. Tem razão. Sempre em época de campanha acabo assistindo algum programa desses, para conhecer os candidatos (inúmeros, para vereador) e conferir a criatividade do povo. Aqueles que não tem o dom de resumir sua proposta com maestria, fica paradinho com os olhos para lá e para cá, subentendendo que por trás das câmeras deve haver um belo e grande cartaz com uma frase pronta feita por alguém do partido...hilário.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  20. Caricaturar governantes e rir deles, é o mínimo que se pode fazer quando eles fazem e orientam [mal ou menos mal, ou até bem] o rumo dos países. Por consequência as nossas vidas também.

    ResponderExcluir
  21. Tem uns candidatos realmente engraçados. Pena que depois as pessoas votam achando que é para eleger comediante...

    ResponderExcluir
  22. Pois é, ridicularizar é pouco.
    Suas palavra me fizeram cantar:

    "Mas nós dançamos no silêncio,
    choramos no carnaval.
    Não vemos graça nas gracinhas da TV,
    morremos de rir no horário eleitoral."

    Outras Frequencias, Engenheiros do Hawaii.
    Curte?

    ResponderExcluir
  23. herculano, teu blog é sempre uma maravilha que salta aos olhos.

    ResponderExcluir
  24. Exatamente! Escrevi sobre isso semana passada no facebook. Horário eleitoral gratuito deveria fazer parte da programação normal na tv. No entanto, se assim o fosse perderia a graça da mesma forma que grande parte das atrações medíocres televisivas.

    Também acho que os programas dos candidatos a vereador são os mais bizarros, principalmente os de cidades como Caxias, Nova Iguaçu etc no Rio de Janeiro.

    Antes das eleições podemos rir, mas depois de eleitos os aproveitadores deveriam contemplar, no mínimo nosso ranger de dentes.

    ResponderExcluir
  25. Voto em ti, o mestre das palavras exatas.
    Herculano-90909.
    Já ganhô.

    ResponderExcluir
  26. Eu também espero ansiosamente pela propaganda política e, de preferencia, a dos vereadores. Acho um máximo toda aquela papagaiada e quando ainda estou rindo de um, aparece outro ainda mais cômico. Infelizmente, infelizmente..

    ..ainda não testei fazer isso no espelho, mas com certeza o ridículo também me sataria aos olhos. fiquemos com os mestres..rs

    Beijos.

    ResponderExcluir
  27. He! He!
    Melhor mesmo amigo.
    Pelo que vejo a política, é igual por todo lado mesmo.
    O pior (penso eu) é que as pessoas caem sempre na lenga lenga, por mais batida e coçada que seja.
    Abraço, fica bem.

    ResponderExcluir
  28. Sou de uma cidade pequena e acompanhei de perto diversas eleições municipais. Hoje, estando num grande centro, sinto falta daquele burburinho bom: "Mas fulano se candidatou? Por que, se ele nao terá nem trinta votos?". Para me manter a par, ligo semanalmente para a família... E me divirto com as historias. Teve uma vez uma candidata a vereadora que era o cumulo da timidez. Certa vez, pegou o microfone e começou a chorar - pânico. Nao ganhou, também nunca mais concorreu...

    ResponderExcluir
  29. Interessante :)

    Mas,ainda não consigo rir com a propaganda eleitoral.

    ResponderExcluir
  30. Como tu, meu querido Herculano, eu gosto também da propaganda eleitoral, o melhor programa de humor do momento...mas também é perceptível a apresentação de algo profissional, aliás, depois do segundo mandato ele se acha dono do cargo, entre o profissional e o pessoal, é meio doida a política neste país. cria-se poderes onde legalmente não existem, invertem valores, e no meio disso tudo, tentamos viver honestamente. Post necessário.
    ps. Meu carinho meu respeito meu grande abraço.

    ResponderExcluir
  31. É isso aí, Herculano.

    Amigos do parente, vizinhos e gente da TV com propostas sem sentido. Nem seria necessário que fossem menos concisos. Só para rir . Que mundo é este?

    bjs

    ResponderExcluir
  32. Gostei!
    "Eles não farão isso durante quatro anos com a gente".

    ResponderExcluir

Comente apenas se leu a postagem.
Comentários anônimos serão recusados.

Related Posts with Thumbnails