quinta-feira, 27 de setembro de 2012

ALÉM DO QUE SE VÊ

OS INOCENTES
(The Innocents, EUA/Inglaterra, 1961)
Direção: Jack Clayton

A governanta vivida por Deborah Kerr (um dos seus melhores momentos no cinema, em uma atuação que cresce gradativamente) aceita o emprego em uma mansão no campo para cuidar de um casal de irmãos órfãos. Desde a sua chegada ao local, ela passa a ser atormentada por visões de pessoas estranhas rondando a propriedade e a acreditar que as crianças, que ela acha que não seriam tão inocentes quanto aparentam, também podem vê-las. A sombria fotografia realça o tom acentuadamente gótico da Inglaterra vitoriana e o final surpreendente nos permite uma série de interpretações. Com status de obra-prima do terror psicológico, OS INOCENTES, baseado na novela “A Volta do Parafuso”, de Henry James, e com roteiro de Truman Capote, ainda serve de modelo para uma série de imitações  que amiúde aparece por aí.

QUERIDA WENDY
(Dear Wendy, Dinamarca, 2004)
Direção: Thomas Vinterberg 

 
Jovens sem perspectivas e sem autoestima se reúnem em um clube secreto, fundamentado no contraditório princípio do pacifismo e da posse de armas, uma evidente crítica à cultura bélica norte-americana. Produzido entre DOGVILLE e MANDERLAY (a incompleta trilogia “EUA, terra das oportunidades”), QUERIDA WENDY não esconde seu parentesco, e talvez se passe, inclusive, em algum lugar entre as duas cidades. Com roteiro de Lars von Trier, tem em comum a narração em off, os tipos sociais bem específicos e a rotina de uma cidade pequena com seus espaços claramente delimitados (embora não haja a ausência de divisórias). Jamie Bell (de BILLY ELLIOT) encabeça o ótimo elenco juvenil ao lado de  Alison Pill (presente nos últimos trabalhos de Woody Allen). A trilha sonora, com clássicos da banda inglesa The Zombies, é outro destaque.


O GUARDA
(The Guard, Irlanda, 2011)
Direção: John Michael McDonagh 
 
Dupla de policiais que não possuem nada em comum, e que utilizam métodos completamente diferentes no desempenho das suas funções, são forçados a trabalhar juntos e acabam solucionando um caso que parecia fora do alcance dos dois. Provavelmente você já viu algum filme assim, mas a comédia policial irlandesa O GUARDA subverte e brinca com alguns clichês do gênero. Com seu humor ácido e politicamente incorreto, repleto de bons diálogos e uma interpretação afiadíssima de Brendan Gleeson, como o policial corrupto e entendiado de uma pequena cidade do interior da Irlanda, que é obrigado a colaborar com a investigação de um agente do FBI, Don Cheadle, para desbaratar uma operação milionária do tráfico internacional de drogas. Destaque para o trio de criminosos que discute filosofia.

15 comentários:

  1. Os Inocentes é muito bom! Um dos raros casos em que gostei mais da adaptação que do livro.
    bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certamente, se interessar, tem um fime com Marlon Brando no papel do jardineiro Peter Quint,em que são mostrados os fatos que antecedem OS INOCENTES,chama-se OS QUE CHEGAM COM A NOITE (The Nightcomers, 1971). Um dos primeiros filmes a utilizar o hoje comum conceito de "prequel".

      Excluir
    2. Não sabia. Adicionado à imensa lista de filmes a serem vistos. Valeu pela dica ;)

      Excluir
  2. Adoro suas dicas de filmes. Quero muito ver o primeiro porque adoro o livro. Procurei na Netflix e no Crackle, mas não tem. Vou de locadora mesmo. Valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para quem nao se importa em baixar, segue o link para o torrent:
      http://cinebelasartesnanet.blogspot.com.br/2012/06/os-inocentes-1961-jack-clayton.html

      Excluir
    2. Saiu recentemente uma edição especial em DVD, mas baixar é sempre uma opção.

      Excluir
  3. Tem tres filmes de Debora Kerr que eu adoro...
    Um deles é "A um passo da eternidade" ... "Tarde demais para esquecer"...e o "O Rei e eu"...
    Tenho uma predileçao por "Tarde demais para esquecer"... alem da historia... acho lindas as cenas que passam na Ilha da Madeira... embora "O Rei e eu" seja para mim o classico dos classicos, com sua trilha sonora, figurino... um filme maravilhoso...adoro
    Mas esse ainda nao tinha visto ou nao estou me lembrando pq assisto muito filmes classicos...bom... vou procurar por ele...parece bom...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gosto bantante dos filmes que você citou, mas em OS INOCENTES ela está perfeita, sua personagem é feita de insinuações, sutilezas, e cresce tanto que mal conseguimos notar, como toda boa interpretação deve ser.

      Excluir
  4. Impressionante como voce consegue fazer uma sinopse interessante, que instigue o leitor a querer assistir, sem contar de mais, principalmente em OS INOCENTES, que possui tantos detalhes fundamentais para compreende a obra, mas que perde a graça se relatados, parabéns.

    Desses, quero ver QUERIDA WENDY, cansei de esperar Trier terminar a triologia, e esse filme eu nao conhecia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você nao sabe quanto é difícil, quantos trechos tenho que cortar, ou reescrever.
      E "Querida Wendy" merece ser descoberto.

      Excluir
  5. Anotados!
    Os inocentes, eu vi e vale a pena rever.

    beijoss

    ResponderExcluir
  6. Caro amigo, prazer sempre passar por aqui. Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Infelizmente, não assisti a nenhum dos três filmes. Todos parecem ser bem interessantes, especialmente "Os Inocentes". Sempre li ótimos comentários sobre a atuação da Deborah Kerr neste filme.

    ResponderExcluir
  8. Que ganas de ver "Los inocentes" con Deborah Kerr.
    Saludos
    David

    ResponderExcluir

Comente apenas se leu a postagem.
Comentários anônimos serão recusados.

Related Posts with Thumbnails