segunda-feira, 24 de outubro de 2011

PARA UMA APRENDIZ DE FEITICEIRA

 "Queridos pai e mãe, obrigado pela minha infância feliz.
Vocês arruinaram toda a chance que eu tinha de me tornar escritora!"

Cartum de Alex Gregory para 
a revista americana The New Yorker

28 comentários:

  1. Humm... na grande rede não faltam candidatos a escritor, mas sem nenhuma dor.

    ResponderExcluir
  2. Herculano, teus posts me remetem sempre a alguma memória do passado. Lembrei de Andreia, que me disse um dia ter conquistado as coisas mais essenciais na vida, a sua riqueza interior, devido a um único fato: ter sido gorda, tímida, desajeitada e feia na infância.
    Salve a dor que tempera a carne e impede que nos tornemos alimento insosso!
    Beijão!

    ResponderExcluir
  3. kkkkk Adorei o cartum, Herculano!
    Hoje vim pedir uma força. Meu poema “Arco-Íris” está concorrendo em uma votação online no endereço http://www.premiosfliporto.com.br/2011/toc140.php Se você puder, por favor, passe por lá e deixe uns votinhos pra ele. As votações terminam no dia 26 de outubro, à meia-noite. Beijos e obrigada!

    ResponderExcluir
  4. Época de diário e muitos segredos guardados...

    ResponderExcluir
  5. Eu adoro estes trabalhos da The New Yorker! São geniais.
    Um abraço
    Daniele Moura
    www.telaprateada.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. rsrsrsrsrs,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,

    Abraço

    ResponderExcluir
  7. Ai, ai...Gente que já tem a limonada pronta e reclama os limões.

    :p

    Um beijo, moço.

    ResponderExcluir
  8. Amo os cartoons do New Yorker, muito.
    E afinal, como diria o velho Renato,
    toda dor não vem do desejo de nao senti-la?

    ResponderExcluir
  9. Teve uma época da minha vida que me chamavam de 'aprendiz de feiticeira'. Ainda bem que tive a sorte de não me impedirem de ser jornalista, uma escritora cheia de garra, marra e farra. Tropeço, levanto e sigo. Quando algo tá pra dar errado... "alacazam, alacazum... trabalho, viro noite e... cabum!" Daí tudo se transforma, e caio na farra comemorando mais uma conquista, de muitas que virão. Aprendo, vivo, compareço e apareço em pessoa menos do que devia. Mas informo tanto a sociedade, que me sinto presente na vida da comunidade.

    Bem bacana este espaço seu. Te sigo! Cheguei para ficar. Em "Sinais de Mim" tem um espaço reservado para você na Área Vip!!! ^^
    Besos,
    TL.

    ResponderExcluir
  10. Gostei... e mais..., porque sou aprendiz de feiticeira!!
    Abç

    ResponderExcluir
  11. Que bom que a minha infância feliz não me afastou do que eu sou hoje...

    Visita aí, Herculano: www.palavreandome.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Excelente, Herculano!

    Eu também escuto isto em dose dupla, e respondo cantando: "NÃO, NÃO DÁ, ASSIM NÃO VAI DAR, COMO É QUE VOU FAZER SEM TER COM QUEM ME REVOLTAR!

    Ninguém escapa.!

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir
  13. Risos. Também tive uma infância feliz, mas ainda assim restam histórias boas para contar. Ao menos, eu acho...

    ResponderExcluir
  14. Caro amigo

    Em parte é verdade,
    em parte não.

    Penso que é preciso
    se buscar nas
    entrelinhas a mensagem
    completa presente
    na tirinha.


    Que sempre existam mãos
    para "carinhar" o teu dia

    ResponderExcluir
  15. Alguém tem que fazer essa criatura sofrer...

    Muito bom!!!

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  16. Não fui muito feliz na infância. Aliás, acho que nunca fui muito feliz. Será que é por isso que escrevo? Abraço, Herculano.

    ResponderExcluir
  17. A tomar pelo que ela está escrevendo no diário nem tudo está perdido, rs.

    ResponderExcluir
  18. Verdade em partes...

    A infância monta em partes sua personalidade... e outra se o sonho seria realmente ser escritor, a obrigação de correr atrás é única e excluisivamente sua...

    ResponderExcluir
  19. Para os americanos,
    essa garota no cubículo
    de um dormitório
    universitário é quase uma loser.

    ResponderExcluir
  20. ahahahaha
    quem me dera ter a vida arruinada e não precisar tanto das palavras!!
    beijosss :)

    ResponderExcluir
  21. Em certa parte, sim.. Em certa parte, não. Tudo depende da interpretação ligada ao humor do dia.

    robertavladya.blogspot.com

    ResponderExcluir
  22. Imagine como não é a vida dele, uma vida inteira de terapia..

    Sorte! =)

    ResponderExcluir
  23. gostei do cartoon , mas realmente nao sei se concordo com isso , a infancia é algo realmente importante , mas nao acho que uma infancia feliz impede se tornar escritor, ha pessoas que ja nasceram com o don de escrever incriveis historias

    ResponderExcluir
  24. Gostei do teu blog.

    Após a infância tem a adolescência, que dificilmente é boa por melhores que sejam os pais.

    Tô te seguindo. Se puder segue o meu:
    http://leilakruger.blogspot.com

    Bjo!

    ResponderExcluir

Comente apenas se leu a postagem.
Comentários anônimos serão recusados.

Related Posts with Thumbnails