domingo, 3 de julho de 2011

POEMA INÉDITO IV


sei dos meus cinismos
dos meus silêncios
dos meus enganos

sou tão leve quanto o inferno
pesado feito um anjo


Herculano Neto

56 comentários:

  1. A INSUSTENTÁVEL LEVEZA DO SER. DIZ TUDO O SEU POEMA. PARABÉNS!!

    ResponderExcluir
  2. asas do desejo... às vezes, as asas são o que nos impedem de voar...
    elas pesam demais...

    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  3. Acabei de portar o poema no facebook... Amei o inferno leve e o pesado anjo...Vou te levando até que vc vá! :-)
    Beijos,

    ResponderExcluir
  4. poema inspirador para se fazer uma música

    ResponderExcluir
  5. ...Aí eu digo:
    Quem disse que o inferno é leve?
    Quem disse que o anjo é pesado?
    Aí você me responde:
    Isso é apenas meu cinismo do meu enganoso silêncio.
    Entendeu? Nem eu... Mas acho que é por aí. Afinal, poesia a gente interpreta como quiser né?
    Beijokas e boa semana

    ResponderExcluir
  6. Sim, deve haver um grande fardo de dúvidas nas costas de um anjo.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  7. ahh assim do que ser mais ou menos....né não?
    Beijao

    ResponderExcluir
  8. Reflexão profunda...
    um grande bj querido amigo

    ResponderExcluir
  9. Analiso um anjo pesado e um inferno leva e, quando as asas pesam não é bom sinal. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  10. Herculano, belo texto. Intrigante seus posts. Deixo um grande abraço!

    ResponderExcluir
  11. Muito bom poeta ...Uma semana iluminada pr vc bj!

    ResponderExcluir
  12. Não sei por que você não faz só poemas, vc é genial nisso!

    ResponderExcluir
  13. nada pra falar a 00:15...pelo menos nada útil..isso mesmo nem é útil...foi vc quem fez?

    ResponderExcluir
  14. Caro Poeta,

    De tudo que evitamos e somos.

    Abraços,

    ResponderExcluir
  15. Conhecer-se leva um tempo, é um processo contínuo de descobertas.

    ResponderExcluir
  16. Realmente, é muito mais pesado ser um anjo. Teus versos me dizem muito, espero, ansiosa, a possibilidade de ver todos esses inéditos em livro.

    ResponderExcluir
  17. Muito bom, Herculano. Gostei.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  18. Olá querido, obrigada pelo incentivo, palavras que certamente vieram em um bom momento, pois quando se pensa em desistir de algo que é bom para nós, o que foi o meu caso, O poder superior nos envia anjos não se sabe d onde, que nos mostra que sonhar ainda continua sendo bom.
    Seu espaço é charmoso, e certamente que me deu vontade de ficar um pouco mais.
    Um beijo grande, e se estiver me seguindo, já está concorrendo ao meu livro em meu blog, o que de imediato, torço para que seja o contemplado.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  19. É por isso que são precisos seus poemas!

    Beijos, poeta!

    Mirze

    ResponderExcluir
  20. Eu sei dos meus cinismos também. E de tudo mais.

    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Ai ai, como pode ser tão exato assim, hein?!
    :)
    Bjoo!

    ResponderExcluir
  22. Gosto bastante das imagens que vc utiliza em suas postagens, esta, então, de ASAS DO DESEJO, casou perfeitamente.

    ResponderExcluir
  23. Poeta você como sempre, dispensa comentários adorei o poema lindo...
    leve como o amor,pesado como as decepções estou tão assim que nem sei o que te dizer.Parabéns lindo poema. abraço

    ResponderExcluir
  24. E teus belos versos têm o mesmo peso e leveza.

    Lindo!

    ResponderExcluir
  25. Bonito demais, leve demais, pesado demais...

    ResponderExcluir
  26. Consigo perceber este texto em cada letra que o contém. Não estou a ser pretensiosa, estou a desnudar a minha alma. Só aqui, só agora. Porque disseste as palavras certas.

    ResponderExcluir
  27. Quero ler mais posts... (rs)
    nem liga não, sou viciada em coisas boas.
    Beijo

    ResponderExcluir
  28. Cara, por esses (des)caminhos da 'nave/gação' cheguei ao seu blog - e gostei muito, dos poemas, dos textos, de sua 'verve'... é isso, é sempre uma grata surpresa encontrar tal qualidade e força nas palavras. Valeu. Abraço,

    Afonso

    ResponderExcluir
  29. Herculano,
    E a gente sabe quando está diante de um poeta que sabe seus silêncios, enganos e cinismos: o coração nos diz, i(n)ediatamente...

    Abraço antigo,
    Pedro Ramúcio.

    ResponderExcluir
  30. Pois, tem toda a razão! A mim, os rótulos também nunca me fascinaram mas não me deixam completamente indiferente.

    ResponderExcluir
  31. Dos extremos que todos nós temos, somos.

    Belo poema!

    beeijo meu*

    ResponderExcluir
  32. Qualquer comentário seria desnecessário... Mas quero apenas que saiba que gostei.

    ResponderExcluir
  33. Como pode um poema tão pqueno, deixar uma mensagem tão gigantesca? Belo intenso, profundo, gostei, pra vc bjos, bjos e bjosssssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  34. leve quanto o inferno e pesado quanto um anjo.. é que pra estar do inferno nem precisa esforço, mas ser um anjo tem suas cargas :D
    Me sinto assim, meio anjo, meio demonio... todos somos.

    ResponderExcluir
  35. Fico ca pensando nos teus versos: leve feito o inferno/ pesado feito anjo... Abraço de zélia freire

    ResponderExcluir
  36. Olá tudo bom?!
    A imagem ficou show com o texto!
    bjs, paz e boa semana1
    http://guerradosmundosleka.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  37. Bom dia, Herculano.

    Acho que todos nos sabemos e nos sentimos assim.

    Um abraço!
    E que seu fim de semana seja de paz.

    Wilson

    ResponderExcluir
  38. Que maravilha!

    Gostei da foto do Asas do desejo. Ótimo filme e poema bordado a mão, com todos os arremates necessários.

    Abs.

    ResponderExcluir
  39. Dos nossos espasmos e espantos, só quem sabe somos nós mesmos!

    Gosto de texto na primeira pessoa, assim, explícito, ainda que não seja um "auto-poema".

    ResponderExcluir
  40. “um anjo pesado e um inferno leve”...
    Um cérebro de um poeta é diferente de todos os outros!!
    Ele ver tudo com uma forma diferente!!
    Ele vai longe torna até um anjo pesado
    E um inferno leve...
    Vc é demais manu!!!

    ResponderExcluir
  41. Adorei eu poema, adorei seu blog...Parabéns! Tenho um também, dá uma olhadinha: http://www.daniela-meucantinholiterario.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  42. anjos são figuras de pedras, aladas

    abraço

    ResponderExcluir
  43. Um inferno leve. Um paradoxo incrível, mas não deixa de ser correto.
    O inferno é um local vazio e, sem valor, ao contrário da personagem de anjo. Com valores e robusto. Pesado..
    Um poema bastante curto, mas que diz muito.
    Quanto beleza na sua poesia,

    Atenciosamente,
    Carlos Leite, http://opintordesonhos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  44. bem bacana o blog ....

    afinal acho q hé na poesia boa dose de destilador...

    grande abraço!


    ps: a mim destila...

    ResponderExcluir
  45. Sei que sou... que somos
    insanos... humanos

    ResponderExcluir
  46. Acabo de ganhar minha noite...

    ResponderExcluir
  47. a laboriosa obra da dominação do silêncio...

    ResponderExcluir
  48. é engraçado eu acho que não são as asas que pesam mas sim o corpo...mas são pontos de vista :)
    parabéns!

    ResponderExcluir

Comente apenas se leu a postagem.
Comentários anônimos serão recusados.

Related Posts with Thumbnails