sexta-feira, 10 de junho de 2011

O DIA DOS NAMORADOS DE EDUARDO E MÔNICA

Cindy e Dean
In Memoriam de Bartô,
o surdo-mudo mais falastrão que já conheci
   
         O “Dia dos Namorados” é habilmente aproveitado, e manipulado, pelo mercado (como qualquer outro “dia de...”). Nenhuma novidade. Mas o que agora chamou minha atenção foi a equivocada estratégia de colocar “Blue Valentine” para representar os namorados nas salas dos cinemas em junho, talvez na falta de uma comédia romântica os distribuidores acreditaram que este “Namorados Para Sempre” (título que o filme recebeu por aqui) seria suficiente. No entanto, “para sempre” é tudo que não veremos.
         “Blue Valentine” acompanha os últimos momentos do casamento de Dean (Ryan Gosling) e Cindy (Michelle Williams, que foi indicada ao Oscar de melhor atriz), um pintor de paredes sem emprego fixo e uma enfermeira que dividem a casa simples com a filha de seis anos e um cachorro. Quando o filme começa, nos deparamos com o casal quase no término do relacionamento, são raras as conversas, os poucos gestos de carinho são evitados por ela – que não sabemos, apenas imaginamos, os motivos. O premiado roteiro transita entre o início e o fim da relação, nos privando de conhecer o que aconteceu durante. Os flashbacks não revelam muito, e surgem aleatoriamente. A entrega dos atores permite bons improvisos, como na sequencia em que Ryan canta para Michelle dançar (ela sem saber que música escutaria e ele sem saber que ela realmente sabia sapatear). “Blue Valentine” é o título de uma canção, e de um disco, de Tom Waits, que narra a trajetória de um casal que se apaixona e se desapaixona. O filme é sobre isso. Não é, como nos acostumamos a ver, a descoberta do amor. É o final, ou a aceitação do final. Pode ser um programa depressivo, e reflexivo, para se fazer a dois, mas valerá a pena se a intenção for apreciar um filme sobre pessoas normais e dramas normais.
         (Dean e Cindy não são Eduardo e Mônica).
         Acredito que nesse momento todo mundo já viu (ou já ouviu falar sobre) a campanha do dia dos namorados de uma empresa de telefonia móvel que transporta a canção de Renato Russo para os dias atuais, um mundo onde ninguém pode viver sem telefone celular. Nunca simpatizei muito com música com “historinha”, típica dos anos 80, e “Eduardo e Mônica” menos ainda, soava classe média demais para minha realidade, algo que se confirma ainda mais agora.
         Eu tinha um amigo surdo-mudo que adorava Legião Urbana, gostava dos encartes dos LP's, gostava das letras das canções, mesmo sem nunca ter podido escutar a voz de Renato Russo. Ele não suportava ser tratado com piedade, além de ser genialmente irônico e mordaz, e odiava videoclipes (e ainda há quem diga que videoclipe é música para surdos). Certamente, ele também detestaria essa campanha. Quando alguém diz que não entendeu uma canção, provavelmente esperando que eu a explique, digo: veja o clipe.
         Dean e Cindy não são Eduardo e Mônica, mas nada impede que os Eduardos e as Mônicas da vida real um dia se tornem “Blue Valentine”, num mundo onde as pessoas ainda podem viver sem telefone celular.

31 comentários:

  1. Comédias românticas destroem os relacionamentos. Levarei meu namorado pra assistir "Blue Valentine", ou então o nacional "Amor?" ou então "Se beber não case II", que eu não sei do que se trata, não vi a parte I, mas o título é bem sugestivo... rs.

    ResponderExcluir
  2. Pois é, Herculano, o pior é que muito casal vai entrar desavisado e acabar achando ruim um belo filme por causa da expectativa.

    Interessante seu link com Eduardo e Mônica, bem propício. Agora quanto à letra, gosto muito da apresentação dela: "E quem um dia irá dizer que existe razão, nas coisas feitas pelo coração. E quem irá dizer que não existe razão".

    ResponderExcluir
  3. Dia dos Namorados... Aham.

    Detesto comédias românticas. Um bom diálogo reflexivo é bem mais divertido, tipo Sr. e Sra.Smith...

    Olha, tudo ia bem até que vc falou da música. Agora já é tarde, não dá mais pra comentar nada. A música Eduardo e Mônica já invadiu meu cérebro, e aí eu fico em transe, olhos parados, cantando: Eduardo e Mônica... Eduardo e Mônica.... Eduardo e Mônica...
    Adoro Legião e Renato Russo, mas Ô música chata!...

    ResponderExcluir
  4. Caro amigo, correlação perfeita e também acho que Eduardo e Mônica, levaram uma vidinha sossegada, com algumas diferenças, apenas, nada capaz de nos tocar mais profundamente,ou chocar,sou mais o casal Nirvana, abraço.

    ResponderExcluir
  5. Pois é Herculano, dos últimos filmes que concorreram a algo importante no Oscar o último a chegar aos cinemas brazucas é Blue Valentine, e tudo por causa dos dias dos namorados, francamente. Vai ter muito casal se separando, ou repensando, após a sessão. Mas o filme é òtimo.

    Quanto a "Duda & Mone" é muito classe média, e o filme dos celulares é muito tendencioso, e nada que é muito demais me agrada.

    E uma pergunta, afinal Duda queria impressionar ou só pensava em ir pra casa?

    ResponderExcluir
  6. Aiii, cê me deixou na vontade agora... Pena que sou meio avessa a ir em cinemas. Prefiro mil vezes assistir em casa, então o jeito é esperar mais um pouco...
    Eduardo e Mônica?
    Acho a música sugestiva...
    Até gostei do vídeo, só acho meio 8 ou 80...
    Bjoo!

    ResponderExcluir
  7. O amor romântico vende mais. E quando um filme, como no seu caso citado acima, não atende às expextativas de que todo o mundo o consuma, adaptações certamenten serão feitas. E casais se separando não vende... Não no dia dos namorados! O consumidor é tão "iditiotizado", que só de colocarem o nome namorados no título do filme (devido ao dia dos namorados), eles sabem que todos procurarão essa sessão. Temo por isso... Não sou idiota!

    Abs.

    ResponderExcluir
  8. a vida real sem celular e sem conto de fadas,


    abraço

    ResponderExcluir
  9. Sobre a música, Eduardo e Mônica, pra mim, indiscutivelmente uma baita música. E a campanha não chega a desvirtuar esse sucesso da banda Legião, ao contrário, serve pra divulgar para os jovens que desconhecem Legião Urbana; uma das poucas bandas nacionais que realizaram grandes sucessos com propriedade.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  10. Um ponto de vista interessante, afinal!
    vou anotar suas dicas!Abraço

    ResponderExcluir
  11. Legião Urbana não era uma banda que abordava apenas questões emocionais, como muitas bandas que fizeram e fazem sucesso ainda hoje. Havia uma certa ideologia em suas letras, por isso considero uma boa banda. Comédias romanticas são tão bem aceitas porque é mais fácil acreditar nas fantasias que deixam a vida mais bonita do que encarar a realidade dos problemas sociais.

    ResponderExcluir
  12. Querido Amigo..
    Um feliz final de semana para você
    Sendo amanhã Dia Dos Namorados
    já estou desde hoje nas visitas e oferecendo
    se for de seu agrado o mimo dos namorados esta na postagem.
    Sinto muito estar levando colinha.
    Estou com tendinite espero ficar bem logo.
    Pois,, caso não ficar terei que levar cola ou
    deixar de visitar até ficar bem ..
    Um lindo Domingo beijos no coração,,Evanir.

    ResponderExcluir
  13. Poxa, Herculano, é isso aí! Texto perfeito e muito pontual e atual!!! Um filme hollywoodiano, que acho que retrata o amor de forma verdadeira e perfeita e te recomendo, se você ainda não assistiu é "Um Caminho Para Dois". Falarei dele amanhã, lá no blog! :)

    ResponderExcluir
  14. Belo texto querido,nunca fui apreciadora do Legião mas esta canção é bem gostosa de se ouvir,adorei o texto,mais uma vez parabéns.
    um xero.

    ResponderExcluir
  15. Cara você disse algo que me motivou a ver o filme: "Pode ser um programa depressivo, e reflexivo, para se fazer a dois, mas valerá a pena se a intenção for apreciar um filme sobre pessoas normais e dramas normais."

    Entendo que não existe coisa melhor no cinema do que a representação do quanto é difícil ser normal. Mas, afinal, o que é ser normal?

    Adorei o texto.

    E gosto da música do Legião. Mas, não acho espetacular como a grande maioria.

    ResponderExcluir
  16. Olá Herculano, acabei de assistir ao vídeo da empresa de telefonia móvel, fiquei todo bobo e você vem me falar de amores como o de Cindy e Dean, justo na semana dos namorados? [...] Mas você está certo, "Namorados para sempre" valerá ao menos para servir de reflexão, né? Para que, como você sabiamente disse, os Eduardos e as Mônicas da vida real um dia não venham a se tornarem “Blue Valentine”. Valeu!

    Passa lá: www.sandesmeiodesligado.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. ...e que o amor ardido refresque, né?


    beijao

    ResponderExcluir
  18. Do Legião (Renato) Urbana sempre gostei... Datas comemorativas para vender...tsc tsc tsc...não gosto. Mas seu texto sempre afiadinho, gostei!
    Beijos,

    ResponderExcluir
  19. Um texto forte, consistente e verdadeiro ... só incomoda a quem vive das mesmices pré-configuradas e não se apercebe q é delas q se tem esta vida vazia de que todos se lastimam ...

    Parabéns ...

    ResponderExcluir
  20. Olá tudo bem, o jeito comercial que o amor ou sexo tem sido mostrado na alta industria do consumo tem me irritado e muito, ninguém fala que existe desavenças diferenças e união em filmes e parece que tudo é lindo, esse dia dos namorados e que me chamou muito a atenção foi a campanha da vivo com a música Eduardo e Mônica, que tinha uma história bonita, algumas pessoas me dissera que chorarem relembrando nostalgicamente o relacionamento, e ao fim o apelo comercial, daqui a pouco venderemos o amor garrafas, afinal no facebook as pessoas se aluga para o dia dos namorados.

    ResponderExcluir
  21. Bem reflexivo! São poucos que possuem ponto de vista e sabem passá-los para a escrita!

    www.robertavladya.blogspot.com

    ResponderExcluir
  22. FODA a sua crítica! E melhor, sem spoilers, vou ver esse filme, com meu namorado hahaha porém, a gente é tudo menos eduardo e mônica! hahaha
    bem, espero nao chegar a ser blue valentine, porém, já passei por isso.. e o bom é q hoje a gente ve q passa, sobrevive, e encara outra!

    ResponderExcluir
  23. Saí tão comovido. O filme mexeu muito comigo, trouxe à tona muita dor e, também, muita realidade. É belo, é denso, mas muito cruel! E, ao meu ver, Ryan Gosling que merecia indicação ao Oscar pelo filme.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  24. que que passei os dias dos namorados na tristeza de sempre aguardo o filme

    ResponderExcluir
  25. Gosto de me iludir e pensar que as datas comemorativas sao realmente para se comemorarem, e nao apenas comércio.
    Hoje ainda vi no Facebook algo sobre esse filme... eu gosto da música....

    ResponderExcluir
  26. Eu amo esse ator ele é fabuloso! Tenho um filme que ele fez chamado "Diário do amanhã" que não enjou de assistir nesta época em especial dos namorados... É uma lição de amor que por sinal tá em falta neste mundo... Uma lição do verdadeiro amor ao próximo.
    Att, Eliz.

    ResponderExcluir
  27. Boa postagem...opinião bastante indiferente
    pena q adoro Eduardo e Mônica

    Seu blog é muito bom

    ResponderExcluir
  28. Um texto muito atual e escrito com propriedade, parabéns ! Meu carinho e obrigada pela presença.

    ResponderExcluir

Comente apenas se leu a postagem.
Comentários anônimos serão recusados.

Related Posts with Thumbnails