quarta-feira, 18 de agosto de 2010

CORTEM A CABEÇA DELA!


Poema Convulsivo

(Fabrícia Miranda)

Essa noite é de romances bizarros
Guardo uma navalha no bolso
para o caso de um flagelo

Por trás do meu rosto um medo
e por trás do medo um rosto.

Hoje estou excepcionalmente bela
com olhos de rímel e lágrimas
e cabeleira desgrenhada

E agora, de tão tarde, conto apenas comigo
para falar de mim mesma.

(Poema do livro Ritos de Espelho, 2002)


Fabrícia Miranda (ou simplesmente Fulana Miranda) é uma poeta carioca radicada na Bahia. É do signo de Peixes com ascendente em Touro e lua em Áries. Formada em Letras pela UFBA, é uma das principais representantes da poesia baiana contemporânea e da nova geração de poetas brasileiros. Publicou, pela Fundação Casa de Jorge Amado, o livro de poemas RITOS DE ESPELHO, em 2002.


Outros poemas de Fabrícia Miranda em seu blog:

40 comentários:

  1. Grata surpresa encontrar (numa noite chuvosa de quarta-feira com futebol e horário politico) uma poesia feminina sem feminices.

    ResponderExcluir
  2. Gostei, obrigada pela dica1 Se cuida! Bju

    ResponderExcluir
  3. Herculano, estranhamente me lembrei do filme Sweeny Todd...

    Mas com certeza os livros de Alice são bons lugares para se perder.

    Fique com Deus, menino Herculano.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  4. Gostei do poema, tem algo de misterioso...
    Não conhecia a poeta. Vou tentar obter mais informação.

    Obrigada!

    L.B.

    ResponderExcluir
  5. Muitas vezes, é difícil achar os momentos em que conseguimos encontrarmo-nos com nossos âmagos para falarmos de nós mesmos...

    ResponderExcluir
  6. Preciso cortar a cabeça da paixão que me abraçou. Mas não tem como, não tem mais como, acho...

    Belo poema!

    ResponderExcluir
  7. Adorei!
    Fiquei pensando num filme cheio de suspense, romance, drama... Ou Edward Mãos de Tesoura, que tinha o medo estampado no rosto.

    Com certeza dou uma confirida no blog dela :D

    Tenha um ótimo dia...

    ResponderExcluir
  8. Belo poema, assim como é belo tudo por aqui. Já te sigo e te convido pra conhecer meu blog: www.odeliriodabruxa.blogspot.com
    Beijo
    Denise

    ResponderExcluir
  9. Ah, ela parece escrever superbem! Adoro poemas, achei o dela super sutil! =)
    Beeijos!

    ResponderExcluir
  10. lindo, denso, radical e passional ... amei ... indo ver mais ...

    obrigado por compartilhar

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  11. Belíssimo poema. Também conto apenas comigo especialmente para compreender o que me percorre.

    ResponderExcluir
  12. Adorei!
    Perfeita oposição a fragilidade feminina (iludam-se)..rs

    Beijo meu

    ResponderExcluir
  13. Bastante sintetizado
    Bom final de semana!
    =)

    ResponderExcluir
  14. Excepcionalmente intrigante e complexo!

    Quem não é?

    Depois de um só, não haverá outro sozinho!

    Muito bom!

    ResponderExcluir
  15. Gostei do poema. Mostre mais da produção dela.

    ResponderExcluir
  16. Gosto da poesia de Fabrícia. Gosto de Fabrícia.

    ResponderExcluir
  17. Lindo este mash up: Sweeney Todd + Alice !

    ResponderExcluir
  18. Seus olhos são como esmeraldas e de tão linda, já é um poema que Deus nos legou. Adoro a poética e a pessoa de Fabricia Miranda e como amo! Miguel Carneiro

    ResponderExcluir
  19. Ai Deus! ( risos)

    Trocentas pessoas querendo cortar minha cabeça e comer meus restos mortais so porque eu ando sempre e muito agarrada a mim. Dai, chego aqui e encontro essas palavras!....

    rs..


    Foda-se!...podem me comer!

    Eu gosto. Eu quero. Eu deixo!


    Beijos.

    Tâmara

    ResponderExcluir
  20. "Por trás do meu rosto um medo
    e por trás do medo um rosto."

    "Viajei" nessas duas frases...

    Lindo poema, Herculano. Vou lá conhecer um pouco mais.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  21. Olá,

    Adoro poesia brasileira, pela forma como vocês se recreiam, se divertem, se banham na musica das palavras, rebolando com os sons, e achei tão belo este pequeno poema de Miranda,
    tão "liberta" a sua "energia", tão firme a sua alma.

    Abraços!!

    * do Blog "Cenas Gagas"

    ResponderExcluir
  22. Lindo poema,adorei!

    Blog bem legal, gostei!

    bjos

    ResponderExcluir
  23. A poesia expressa sentimentos viscerais de uma alma inquieta! Achei bem marcante a parte do rímel e do cabelo! Abraços!

    ResponderExcluir
  24. Gostei muito desse poema de Fabrícia Miranda e vou lá agora. Obrigada!

    ResponderExcluir
  25. Pergunto-me o que esta Alice espera da vida.

    ResponderExcluir
  26. A poesia de Fabrícia Miranda é "curta e grossa", mesmo quando lírica. Hà sempre destroços no asfalto, mas uma esperança de que chegue logo o resgate - que é sempre ela mesma, a poeta. Tudo o que ela escreve acerta nossa veia. Mas não se trata de poesia meramente "violenta". A poesia de Fabrícia é muito bem escrita, revela forte conhecimento do idioma e seus melhores recursos, além de evidente maturidade para com seus sentimentos e a forma menos óbvia de manifestá-los. Tenho estado muito cansado com o que chamo de "poemas sensíveis demais", feito por mulheres que falam de uma borboleta, da brisa, do ocaso, dos passos da bailarina etc... São sempre poemas anódinos, pálidos, anêmicos, aquele tipo de escrita que espera do cotidiano de bandeira toda a sua possível epifania... Ledo e ivo engano. A andorinha, o porquinho-da-índia e as pernas de Teresa jamais me disseram nada, e quando "atualizados" por essas mulheres, dizem o oposto do nada: um tudo niilista...

    Henrique Wagner

    ResponderExcluir
  27. Eh... bem dark, meio ultra-romântico.
    Interessante.

    ResponderExcluir

Comente apenas se leu a postagem.
Comentários anônimos serão recusados.

Related Posts with Thumbnails