terça-feira, 16 de março de 2010

TRANSA (MOJO BOOKS)

Na noite passada Júlia, completamente bêbada, falou que não havia lido o livro, mas me presenteou com Tristes Trópicos, de Lévi-Strauss, e uma fita K-7 com algumas canções do Let It Bleed, dos Stones, disse ainda, numa concordância e regência impecáveis, doces palavras do mar, como letras de um fado amargo. Eram tão bonitas aquelas mentiras que não tive a coragem ou vontade de negá-las. Não que eu quisesse acreditar, longe disso, mas eu precisava ouvir frases assim: carentes de realidade e que me conduzissem a um universo paralelo no qual não me permitiria jamais a residência, somente esporádicas visitas. Como ficou fácil prever, aquelas mentiras repercutiram durante a eternidade de uma única noite – nada mais.
***
Nunca obedeci a cronologia da vida e a sua imposição de lógicas, no entanto, sinto algo, em mim, se despedindo: “Já não era a hora”, diriam satisfeitos os prematuramente vencidos pela idade (o adeus me escolheu como quem escolhe entre cores). Dificuldades se agrupam e esperam de mim uma força inusitada ou uma tristeza imediata: nada encontram. O que aguardar de alguém como eu? Poucos amigos, pouca sorte, poucas circunstâncias... Quase todos ignoram a minha parca existência, o que, de certa forma, é um enorme favor. Abduzido pela apatia nenhum fulgor acrescento em quem naturalmente reluz. Protagonizo farsas e acredito em absurdas hipóteses, o que me obriga a recomeçar a qualquer oportunidade menos trágica de felicidade. Longe dos holofotes da hipocrisia sou simplesmente um espectador que distraidamente assiste aos segundos e coleciona suas frustrações.


Baixe na íntegra, e gratuitamente, o livro TRANSA,
de Herculano Neto e Vanessa Rodrigues
baseado na obra homônima de Caetano Veloso,
no site da MOJO BOOKS.

12 comentários:

  1. Não há parca existência quando se brilha, ainda que sem querer. O homem que supera obstáculos que a vida impõe, utilizando-se apenas de trabalho e dignidade não pode colecionar frustrações porque não consegue ajuntar muitas.
    Adeus é palavra que se diz com pesar e se escuta com tristeza, ademais poucos amigos é pra muitos.
    Salve, Herculano.

    ResponderExcluir
  2. Essa obra já faz parte da biblioteca da família! Abraço

    ResponderExcluir
  3. Muito bom.
    Valeu pela dica.
    beijokas.

    ResponderExcluir
  4. Que raro trecho! É claro que vou ler.

    ResponderExcluir
  5. Interessante, bons os trechos!
    ouvi falar desse projeto há algum tempo, mas nem lembrava mais...

    Transa foi uma ótima escolha.

    ResponderExcluir
  6. fiquei com vontade de ler o resto.
    esse trecho: "Eram tão bonitas aquelas mentiras que não tive a coragem ou vontade de negá-las" é fantástico!

    besitos

    ResponderExcluir
  7. Fiquei imersa na leitura dos trechos do teu texto, e parecia que eu ouvia em voz alta, as deambulações textuais, e uma identificação instantânea com quase toda a obra aqui exposta. É como se fosses o nosso porta-voz. Cada parágrafo nos remete a um tempo da nossa vida...
    Mas eu vou baixar o livro mesmo!

    Obrigada pela visita no Canto, prazer!

    P.S.

    A imagem da bela criança usando o "manto sagrado", do meu Santinha, quiçá foi a mais bela que meus olhos já viram nessa manhã.

    ResponderExcluir
  8. e existe mesmooo!! bjos e obrigada pela visita..

    ResponderExcluir

Comente apenas se leu a postagem.
Comentários anônimos serão recusados.

Related Posts with Thumbnails