sexta-feira, 13 de novembro de 2009

O DELICADO CHARME DA VERDADE

           Sou viciado em verdade. Para mim a mentira é uma ofensa e a omissão, covardia.
           Sem perceber falo o que me vem à mente, falta-me freio, bom senso até. Não tenho receio de ofender, de magoar, de ouvir o que não quero (desde que não sejam mentiras). Não sou diplomático, não tenho traquejo social. Às vezes ajo como uma criança e falo o que vejo, o que sinto; não consigo ser diferente. Assim não faço amizades, as cultivo. Não trago na manga frases feitas nem respondo ao “tudo bem?” com um “tudo bem”. Meu maior refúgio é o silêncio, é onde me sinto seguro (queiram-me calado, certamente todos sairão ganhando).
           Quando eu sei que não devo falar, que é a deixa para mentir, me complico, troco os pés pelas mãos. Dizem que não só mentimos várias vezes todos os dias como também aceitamos naturalmente a mentira alheia, é a chamada “mentira branca”, “mentira social”. Mente-se para evitar conflitos, por estratégia, obrigação, preguiça, medo, cobiça, conquista, quando consideram a verdade desnecessária. Mas para mim a verdade é sempre necessária, quero a verdade negra, a honestidade incolor, embora nem todos entendam isso. Se alguém me diz que posso confiar e falar o que penso sei que é somente uma armadilha, ninguém quer ouvir a verdade, quer ouvir uma mentira (mesmo sabendo que é uma mentira). Não se exige franqueza, apenas conveniências.
           A mentira não é uma arte, como o talentoso Ripley faz entender - mentir não tem charme.

20 comentários:

  1. Muita propriedade em suas palavras.

    Gostei da crônica: nua e crua. Como deve ser tbm a verdade.


    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Também fiz a opção pela verdade há tempos. Portanto, a d o r e i este texto, Herculano.

    E esta foto me fez lembrar um poster de Alain Delon que eu tinha no quarto, quando adolescente. Um dele e outro de Giuliano Gemma. (risos). Bons tempos, em que se mentia menos. Eu acho.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. " Verdade sem amor é crueldade. " Não lembro de quem é :( Mas gosto muito.

    ResponderExcluir
  4. Obrigada pela visita.

    Já fui assim, sem freios, sem jogo de cintura (até pq não tenho cintura rsrs), mas a vida, infelizmente, me fez ser igual a maioria.

    E é uma verdade o que diz, muitos preferem ouvir o que agrada, a ouvir a verdade.

    Eu hoje sofro menos, e magoo menos, por calar em algumas situações. Mesmo sendo muito difícil para mim.

    ResponderExcluir
  5. A mentira NÃO é uma arte mesmo. Inclusive, em literatura, não há mentira, há ficção, a criação de uma realidade; de resto, verdadeira para o escritor (ainda que muitas vezes ele não saiba) e para o leitor (no momento de concentração, no qual ele "entra" no livro).
    Gostei muito da crônica.

    ResponderExcluir
  6. vc parece mesmo ser muito verdadeiro, isso é uma coisa difícil, pq sempre precisamos mentir um pouco para esconder certas coisas...eu às vezes prefiro omitir do q magoar...

    ResponderExcluir
  7. Existem mentiras brancas e mentiras negras, e entre elas muitas sombras de mentiras cinzas. Mentiras contadas sem nenhum traço de compaixão, mentiras que preservam sua dignidade, mentiras que dissolvem a dor.
    Todos mentem!
    Saudações literárias, querido. É um prazer tê-lo no meu blog, DE VERDADE!

    ResponderExcluir
  8. Existem mentiras brancas, mentiras negras, e entre elas muitas sombras de mentiras cinzas. Mentiras contadas sem nenhum traço de compaixão, mentiras que preservam sua dignidade, mentiras que dissolvem a dor.
    Todos mentem!

    É um prazer tê-lo em meu blog querido. Lindo texto.

    ResponderExcluir
  9. " Verdade sem amor é crueldade. "

    Realmente às vezes a verdade machuca demais! É melhor deixa-la guardada!

    Mas como se diz: A mentira tem perna curta!;D
    =*

    ResponderExcluir
  10. Tudo muda, o tempo todo. E, às vezes até as nossas mais convictas verdades morrem para dar lugar a outras...

    ResponderExcluir
  11. "Dizem que não só mentimos várias vezes todos os dias como também aceitamos naturalmente a mentira alheia, é a chamada “mentira branca”, “mentira social”. Mente-se para evitar conflitos, por estratégia, obrigação, preguiça, medo, cobiça, conquista, quando consideram a verdade desnecessária."

    Verdade desnecessária? Então mentem o necessário? Claro!
    Muito clara a imagem da atualidade.

    O "império" da democracia, depois de um ato terrível, o ataque aéreo às torres gêmeas, invadiu países e matou milhões de inocentes; imperou a verdade!!!
    Mas a Verdade, filosoficamente e vital para a evolução da espécie, ainda está por detrás da mentira.
    Obama, o "imperador" não se contém diante de um belo rabo, trai a "imperadora" diante dos olhos dela e das câmeras, que leva tal imagem ao resto do mundo; será que é verdade, ou será manobra da "mentira branca/social"?

    Oh tema bom para uma dialética universal e difinitiva!!!

    Grande Hneto

    ResponderExcluir
  12. Você escreve muito bem e isso não é mentira.
    Por aqui, no mundo virtual, também existe muita mentira. Cansei de escrever "lixo" e todos tecerem mil elogios. Não sabendo elas que eu sou terrivelmente crítica, principalmente comigo, com o que escrevo. Sei exatamente quando escrevo "porcaria"
    (nesse comentário estou perto disso)
    :)
    Todos preferem uam mentira bem contado do que uma verdade escancarada.
    E não é o único nessa vida que tem poucos amigos por falar o que não querem ouvir, também estou nesse meio.. Quase um ET.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  13. Faz dias que escolhi o silêncio... dias sem voz por amor à verdade. Se uma mentira grande é imperdoável, o que faz da mentira branca não ser? Tem um limite para mentir então? Não acho coerente. Por isso, silêncio.

    Saudações, poeta.

    ResponderExcluir
  14. O silêncio é refúgio, sim. E no silêncio, o som não faz sentido. No som, o sentido é o silêncio.

    ResponderExcluir
  15. Em tempos modernos de enganação, transformaram a verdade numa espécie de fatalidade, a verdade é insuperável,mas o que é ela afinal? Abraço.

    ResponderExcluir
  16. Revi ontem (ou já seria hoje?) "O Sol por Testemunha", realmente é um grande filme. Alain Delon continua ótimo com suas mentiras.

    ResponderExcluir
  17. Detesto mentiras, mas até as verdades são relativas e temporais...

    Bom texto!

    Abraços e obrigada pelas visitas ao meu blog.

    ResponderExcluir
  18. Gosto muito de "O sol por testemunha". A mentira tem perna curta. Não sei mentir, não sei fingir. Sou muito transparente. Acho a verdade sempre necessária, mas, às vezes, ela pode machucar demais. Tem momentos que não quero mentir, ma não tenho coragem de falar a verdade, então, prefiro calar. Escolho o silêncio. Abraço, Herculano.

    ResponderExcluir

Comente apenas se leu a postagem.
Comentários anônimos serão recusados.

Related Posts with Thumbnails