terça-feira, 25 de novembro de 2008

VICKY CRISTINA BARCELONA (2008)

Tenho uma camiseta branca com a imagem de Woody Allen estampada em silk screen – simples, casual e barata. Dizem que a roupa comunica, mas nunca quis nem pretendo dizer nada a ninguém com o que visto, no entanto sempre que ponho a “camisa de Woody Allen” inevitavelmente aparece alguém, estranho ou não, disposto a iniciar algum diálogo sobre o diretor, com comentários que vão dos seus filmes a detalhes excêntricos de sua vida que desconheço e prefiro continuar desconhecendo. Com a finalidade de fugir de embaraços e constrangimentos passei a usar a camiseta por baixo de uma velha jaqueta, que era estrategicamente fechada até o pescoço ao menor sinal de perigo; porém vivendo no calor de uma cidade como Salvador não fica difícil imaginar meu insucesso. Para me livrar desses interlocutores na fila de pagamento das Lojas Americanas ou na mesa do bar cunhei o pouco inspirado aforismo: É um Woody Allen menor - que dito com extrema indiferença ganha um poder irritante de fim de papo. Sendo um diretor com uma obra tão extensa é natural que haja momentos menos inspirados, o que não é nenhum demérito numa filmografia que inclui ANNIE HALL (1977), MEMÓRIAS (1980), HANNAH E SUAS IRMÃS (1986), CRIMES E PECADOS (1989), MARIDOS E ESPOSAS (1992) e MATCH POINT (2005); é possível que eu inclua em breve nessa lista VICKY CRISTINA BARCELONA (2008), que se não é excelente como apregoam por aí, também está longe da categoria “Woody Allen menor” – e que já é certamente a melhor película de Pedro Almodóvar dos últimos anos. Enquanto isso continuarei usando a camiseta sem receios, agora mais gasta e com uma pequena mancha de ferrugem na altura do umbigo.

2 comentários:

  1. wel wel wel...

    Não posso deixar de comentar 'Vick Cristina Barcelona'. Quando eu vi o filme, mil coisas passaram pela minha cabeça. Até escrevia algo sobre. Mas, por covardia intelectual não publiquei. Eu acho. o lance vai bem além da coisa toda do amor-paixão tao escancarado e tão pouco aceito aos nossos valores sociais. "Vicky Cristina Barcelona" trata dos percalços da vida amorosa com leveza e bom humor; de fato, depois que vi o filme, fiquei pensativa e sorridente. Mas eu fiquei feliz porque o filme me mostrou o que há muito tempo eu ja observava em relações assim: A coisa é boa mas é triste. Essa foi minha conclusão.É um filme triste porque os personagens se apaixonam, vivem sentimentos fortes e intençõs mas, no fim, tudo isso não transforma ninguém.Nada modificou. Não houve o BOOM do amadurecimento. Foi só uma experiencia. Vicky e Cristina vão embora iguais ao que elas eram no começo, sobretudo Cristina...


    acho que falei muito e sei lá....

    acho que num falei nada...

    foda-se, eu falei!


    beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá! Olha o Woody Allen surpreendeu-me uma vez em que distraído comecei a ver um filme dele (coisa que evitava sempre, pois achava que seria uma seca!) fiquei surpreendido pela positiva, e reconheço que tanto o ator, como o realizador ... tem talento, e como dizes e bem, nem sempre, nem todas as obras saem bem!
    Abraço.

    ResponderExcluir

Comente apenas se leu a postagem.
Comentários anônimos serão recusados.

Related Posts with Thumbnails